Vença as crises

julho 9, 2011

 Uma das maiores frustrações de um padre é ver ovelhas de seu rebanho viverem o seu compromisso com Cristo com entusiasmo e dedicação, e de repente, diante dos problemas da vida, desabarem como um prédio que não tem bom alicerce. Fica a impressão que a vida de oração, a participação nos sacramentos, de um modo especial a Eucaristia e Reconciliação, o engajamentos pastoral não são capazes de dar a força para reagir diante das dificuldades da vida. Quantos cristãos de linha de frente no meio da batalha ficam machucados emocionalmente, e permanecem por muito tempo ou para sempre nesta triste situação.

 Surge uma questão importante: Qual é a causa desta situação tão dolorosa que afeta a caminhada cristã de tantas pessoas?  Uma das principais é a ilusão de que cristão não passa por crises. Quantas vezes ouvi pessoas afirmando para os outros ou para si próprias: “ O verdadeiro cristão não fica deprimido, isso é falta de confiança em Deus.”. Diante desta afirmação surge o sentimento de culpa que bloqueia toda reação positiva. Também é comum o questionamento “ Como isso foi acontecer comigo?”. Aqueles mais pessimistas concluem: “ Deus esta me castigando por alguma coisa errada.”

A conseqüência da dificuldade em lidar com os problemas é tentar viver a ilusão que nada esta acontecendo, reprimindo os sentimentos e usar uma série de “técnicas pseudo-cristãs” sem resultado algum. Significa fingir que tudo esta bem, como se fosse algo vergonhoso reconhecer a própria fraqueza ou erro. Por meio desta atitude ignora-se uma verdade espiritual importante, ensinada pelo apóstolo Paulo em 1Cor 12,9b: “ prefiro gloriar-me das minhas fraquezas, para que habite em mim a força de Cristo.”

 Não se trata de cair na atitude simplista de dizer “ errei porque sou humano”, “ eu não mereço esta situação, vou desistir de tudo” ou culpar alguém. É preciso  ter presente que somos seres em constante mudança. Não importa se estas mudanças surjam de questionamentos interiores, relacionamento marido e mulher, pais e filhos, parentes, namoro, ambiente profissional, igreja, com as pessoas em geral, ou ainda de algum vício, doença ou da própria morte. Em qualquer um dos casos é necessário aprender a lidar com o conflito, tendo sempre presente a misericórdia de Deus.

 É muito fácil buscar “soluções mágicas” e “instantâneas” bem a moda da nossa sociedade de consumo. A nossa vida emocional-afetiva não é como algo errado escrito no computador que basta teclar delete para apagar. Também é diferente de uma lata descartável de refrigerante, que depois de usada é amassada, e jogada fora. A mente, o coração, os sentimentos e o corpo nos pregam surpresas quando somos expostos às crises da vida. Nem sempre , em um primeiro momento, reagimos conforme nossas crenças. “Encontro, pois, em mim esta lei: quando quero fazer o bem o que se me depara é o mal.”(Rm 7,21).

Quantas vezes perdemos as rédeas dos problemas, e como conseqüência criamos bloqueios emocionais que impedem uma solução adequada. Aí entram em cena a ansiedade, depressão, sentimento de culpa, complexo de rejeição, raiva, amargura… dificultando mais ainda a possibilidade de enfrentar a situação.

Existe saída? Sim. Basta a disposição para aprender a lidar com as crises de acordo com os ensinamentos de Jesus. “ No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo.”(Jo 16,33b). A palavra chave é : Coragem. Não desistir de si mesmo, das pessoas ou da própria vida. O importante é não ter medo de lidar com os problemas e nem de errar na busca da solução. Uma coisa é certa: Deus jamais nos abandona, Ele nos entende e somente Ele tem o que realmente necessitamos.

 

 

 Oração diante das crises

 

Senhor, ensina-me a entregar-Vos com toda confiança,

 

tudo o que sou, sinto e tenho.

 

 Neste momento desejo Vos devolver a direção de tudo

 

o que se encontra em meus cuidados,

 

e Vos agradecer por ser um de vossos administradores,

 

pois Sois dono de todo o Universo,

 

de minha vida, de tudo o que tenho.

 

Ajudai-me a nunca sair de Vossos propósitos,

 

colocar sempre meus problemas em Vossas mãos

 

e assim descansar meu coração.

 

Que nos momentos em que me vier a ansiedade

 

tão própria de minha fraqueza humana,

 

fortalecei-me, Senhor,

 

dando-me a graça de lembrar-me

 

sempre destas Vossas santas Palavras:

 

“Confiai vossas preocupações,

 

porque Ele tem cuidado de Vós”.

Obrigada(o), Senhor.

Clip_Adriana_-_Abraço_de_Pai 

 

 

 


Deus ainda cura?

outubro 12, 2010

Eu ouço constantemente as pessoas dizerem “É a vontade de Deus” ou “Tenho que me conformar com a situação”, quando são confrontadas com uma doença grave ou uma tragédia. O cristão não pode cair nesta armadilha da fatalidade ou conformismo diante da vida. O nosso Deus é maior do que todos os problemas! Para Ele não existem coisas impossíveis! Jesus disse aos seus discípulos que “que é necessário orar sempre sem jamais deixar de fazê-lo.” (Lc 18,1), e logo a seguir perguntou “Por acaso não fará Deus justiça aos seus escolhidos, que estão clamando por ele dia e noite? Porventura tardará em socorrê-los?” (Lc 18,7).

 Aprenda a orar a Deus pedindo a cura. Não Pare. Não desista. Não deixe seus pensamentos, circunstâncias, aparentes demoras ou pessoas tirarem do seu coração a certeza de que Deus salva, cura, liberta, conforta, renova. E Ele faz tudo isso porque é amor!

 Nosso Senhor Jesus Cristo dedicou boa parte do seu ministério para curar e libertar as multidões que o seguiam: “Pela tarde, apresentaram-lhe muitos possessos de demônios. Com uma palavra expulsou ele os espíritos e curou todos os enfermos.” (Mt 8,16). Ele fez os seus discípulos entenderem a importância de continuarem esta obra: “Por onde andardes, anunciai que o Reino dos céus está próximo.   Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. Recebestes de graça, de graça dai!” (Mt 10,7-8). No livro de Atos dos Apóstolos vemos os as curas acontecendo. Na história da Igreja temos o relato da vida dos santos e dos santuários mostrando a beleza do poder de Deus. Estas evidências apontam para a certeza de que onde existir uma pessoa enferma a bênção estará sempre a disposição. Basta crer, pedir, interceder e Deus abrirá as comportas do céu!

 Não se espante com as minhas afirmações. É a Bíblia quem nos dá o incentivo para orar pela cura. Por exemplo em Tg 5,14-15: “Está alguém enfermo? Chame os sacerdotes da Igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor. A oração da fé salvará o enfermo e o Senhor o restabelecerá. Se ele cometeu pecados, ser-lhe-ão perdoados.” e completa “Confessai os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros para serdes curados. A oração do justo tem grande eficácia.” (Tg 5,16).

 Só alguém que enfrenta ou partilha de uma grave doença, dor ou tragédia sabe como é difícil este momento. Eles sabem como é duro lidar com o medo e a incerteza. Eles sabem como soa absurdo quando alguém diz Não podemos perder a esperança”. Eles sabem como é terrível lidar com a dúvida. Jesus disse: “se tiverdes fé, como um grão de mostarda, direis a esta montanha: Transporta-te daqui para lá, e ela irá; e nada vos será impossível.” (Mt 17,19-20). Estas palavras são cheias de ternura, pois Nosso Senhor esta falando da importância de dar crédito à Palavra de Deus. Isso é fé. Nunca se imagine indigno de merecer o favor de Deus. Ele esta sempre pronto a agir em sua vida!

 Deus abençoe você e atenda todas as suas intenções! Ele tem um milagre para a sua vida! Coragem!

Sinta nestas palavras, a minha oração pessoal por você:

 Deus dos impossíveis, em nome de Jesus,

envia o Espírito Santo, sobre teus filhos e filhas,

para despertar a fé, e conceder todas as graças e milagres,

para este momento de suas vidas!

Se você quiser aprofundar este tema quero recomendar a leitura deste livro de minha autoria:

Você o adquire nas melhores livrarias católicas, ou entrando agora em nossa loja virtual:

http://www.lojaencontrocomcristo.com.br/produtos_descricao.asp?lang=pt_BR&codigo_produto=29


As mãos não estão amarradas

abril 30, 2010

“O homem que possui a mente enamorada de Deus tem uma luz no coração e pode ver o invisível”

                                                                                                                                                                                         Santo Antão

            Muitas pessoas perdem diante da vida, o foco de um destino maravilhoso. Por que acontece isso? O motivo é muito simples: se deixam levar pelas circunstâncias do momento. E diante da aparente dificuldade, adotam a atitude dos derrotados: “Não consigo, não posso, não é para mim, é melhor desistir.” Estas pessoas tem a impressão de estarem com as mãos amarradas.

         Quem coloca as cordas em nossas mãos não é Deus. Ele nos criou livres e capazes para viver com sabedoria. As cordas são o fruto das inúmeras escolhas erradas, nas mais diversas situações da vida. Pare um pouco para se examinar, e pergunte a si mesmo: Por que estou sofrendo? Qual foi a minha reação? Busquei a inspiração e consolo de Deus? Creio na bondade de Deus, e também no seu poder para restaurar a minha vida?

         Desde o início da criação o homem e a mulher foram desafiados a escolher entre o bem e o mal. A serpente se aproximou de Eva com uma provocação: “É verdade que Deus vos proibiu comer do fruto de toda árvore do jardim?”(Gn 3,1). E ela respondeu: “Podemos comer do fruto das árvores do jardim.   Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, Deus disse: Vós não comereis dele, nem o tocareis, para que não morrais.”(Gn 3,2-3). Diante da insistência da serpente, Eva tomou a decisão errada.

         De quem foi a culpa? Da serpente ou de Eva? A serpente propôs, quem aceitou foi Eva. As conseqüências foram desastrosas: Adão pecou; entraram em cena a malícia, inveja sofrimento, dor, doença, morte…Diante de um quadro tão dramático de infidelidade, Deus não abandonou nossos primeiros pais ao seu próprio destino. E nem poderia ser diferente: Deus é amor, Nele não existe o mal. Adão e Eva perderam o paraíso, mas Deus continuou fiel ao propósito de levá-los à felicidade. Ainda no paraíso prometeu derrotar a serpente: “Porque fizeste isso, serás maldita entre todos os animais e feras dos campos; andarás de rastos sobre o teu ventre e comerás o pó todos os dias de tua vida.”(Gn 3,14). Esta maravilha aconteceu na cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo: “Eis porque o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do demônio.”(1Jo 3,8).

        Não sei quais as lutas ou inimigos, que você esta enfrentando agora, capazes de dar a sensação de estarem suas  mãos amarradas. Dependência de algum vício? Trauma causado por erros pessoais ou outras pessoas? Casamento desfeito? Sonhos não realizados?  Frustração profissional? Decepção? Saúde? Situação financeira? O importante é crer: você pode reagir. São Paulo aponta o caminho: “Sei viver na penúria, e sei também viver na abundância. Estou acostumado a todas as vicissitudes: a ter fartura e a passar fome, a ter abundância e a padecer necessidade. Tudo posso naquele que me conforta.”(Flp 4,12-13).

        Não tenha medo de admitir a sua fraqueza para enfrentar a grandeza dos seus problemas. Aproxime-se de Deus confiantemente e diga: “Senhor Deus de amor, sinto as minhas mãos amarradas, ajuda-me!” Olhe para a cruz de Cristo. Como Ele esta? De braços abertos, para acolher todos os que necessitam de sua infinita misericórdia. Jesus Cristo tem o poder para desatar todos os nós da corda dos problemas, que amarram a sua vida.

        A partir de hoje grave no coração a certeza de que todos sofrem derrotas e perdas, o importante é não se entregar. Reaja com a força do amor de Deus. Um novo dia de oportunidades esta a sua frente. Permita ao Espírito Santo dar a você a visão de Deus para a sua vida. Você descobrirá uma nova força para também dizer: “Tudo posso naquele que me conforta”.