Eucaristia: o maior milagre!

junho 17, 2011

A festa de Corpus Christi é a ocasião oportuna para de um modo público, em nossas praças e ruas, testemunhar a nossa fé na certeza da presença real de Jesus na Eucaristia.

 Esta maravilha tão sublime e elevada, através da qual o Senhor se doa em alimento e remédio,para quem o recebe com fé, aconteceu na 5º feira Santa.

 Neste dia, Jesus, deu aos apóstolos a grande missão de continuarem a celebrar a ceia através dos tempos, ordenando: “Fazei isto em memória de mim.”

 Ao dizer fazei isto esta indicando uma realidade forte. Quando se celebra a eucaristia, não se trata de uma recordação ou representação simbólica, mas um ato a cumprir.            

 Deste modo, cremos, que depois do sacerdote ter invocado o Espírito Santo, e repetido as palavras do Senhor na última ceia, o pão e o vinho se tornam o Seu Corpo e Sangue.

 No discurso do pão da vida, Jesus é muito claro a este respeito, ao afirmar em Jo 6,51: “E o pão, que eu hei de dar, é a minha carne para a salvação do mundo.”

 A cada missa acontece o maior de todos os milagres, e a mais importante de todas as aparições.O próprio Jesus se faz presente para encher com a sua glória e poder, o lugar onde se celebra a   Eucaristia, como também a cada pessoa presente neste momento tão sagrado e sobrenatural.          

 De todos os sacramentos, a Eucaristia, é o mais comovente, porque é aqui que Jesus Cristo nos mergulha no amor da sua entrega total realizada na cruz.

 Em 1Pdr 2,24 lemos: “Carregou os nossos pecados em seu corpo sobre o madeiro para que, mortos aos nossos pecados, vivamos para a justiça. Por fim, por suas chagas fomos curados”

 A cada eucaristia torna-se presente este efeito da cruz. São Paulo em 1Cor 11,24, revela importantes gestos e palavras de Jesus durante a ceia:“e, depois de ter dado graças, partiu-o e disse: Isto é o meu corpo, que é entregue por vós…”

 Onde foi partido e entregue  o Corpo de Cristo?  Na cruz.

 Em 1Cor 11,25 também esta revelado:“Este cálice é a Nova Aliança no meu sangue; todas as vezes que o beberdes, fazei-o em memória de mim.”

 Ao falar  Nova Aliança, recorda a Antiga Aliança do passadoonde existia o sacrifício de animais.

 Onde Jesus foi sacrificado e derramou o Seu sangue precioso? Na cruz.

 Por isso, a eucaristia é a maior fonte de cura para todas as dimensões da nossa vida. São Pedro nos disse: por suas chagas fomos curados.

 Quando participamos da santa missa, entramos em um mundo espiritual, que esta fora do tempo material, e se transforma na melhor hora de Deus para a nossa vida. Não podemos esconder tão grande tesouro e fonte de milagres.

 A missa de Corpus Christi, com a procissão e benção, é uma é uma oportunidade especial para avivar a nossa fé no amor de Deus. É Jesus em pessoa, que não fica restrito as paredes de uma igreja, mas que passa no meio do povo, e santifica nossas ruas com a sua presença.

 Jesus vivo vai passar próximo de você, coloque em ação o poder da fé,e com certeza você experimentará a benção de Deus agindo em sua vida.

Eleve o seu coração com o tocante Panis Angelicus na interpretação de Andrea Bocelli:

Panis_Angelicus_-_Andrea_Bocelli

 

 ORIGEM DA FESTA DE CORPUS CHRISTI

Sua origem esta ligada a dois fatos do século XIII:

 – As revelações feitas a Santa Juliana de Liege, onde Nosso Senhor Jesus Cristo pedia uma festa pública dedicada a Eucaristia. Nesta época era sacerdote, nesta diocese da Bélgica, o futuro papa Urbano IV.

 – o Milagre Eucarístico de Bolsena (Itália), acontecido em 1263

 O sacerdote Pedro de Praga fazia uma peregrinação à Roma. Nessa viagem, parou para pernoitar na vila Bolsena, não longe de Roma e se hospedou na Igreja de Santa Catarina. Na manhã seguinte, foi celebrar uma missa e pediu ao Senhor que tirasse da sua mente as dúvidas sobre a Sua presença real na Eucaristia. Era difícil para ele acreditar que no pão e no vinho, estava o Corpo de Cristo.

 Na hora em que ergueu a hóstia, esta começou a sangrar (sangue vivo). Ele assustado, embrulhou a hóstia e voltou à sacristia e avisou o que estava acontecendo. O sangue escorria, sujando todo o chão no qual apareciam vários pingos.

O milagre foi informado ao Papa Urbano IV, que estava em Orvieto, que mandou um bispo a essa vila verificar a veracidade de tal fato.

 O bispo viu que a hóstia sangrava e o chão, o altar e o corporal (toalha branca do altar) estavam todos manchados de sangue. Imediatamente organiza uma procissão para levar o corporal do milagre à presença do papa.

O Papa resolve ir ao encontro da procissão. Quando o bispo mostra o corporal manchado de sangue, o papa se ajoelha e diz: “Corpus Christi” (Corpo de Cristo)!”

 Em 1264, o papa Urbano IV, estendeu a festa para toda a Igreja, pedindo a Santo Tomás de Aquino que preparasse as leituras e textos litúrgicos que, até hoje, são usados durante a celebração.

 

 

 

Anúncios

Quaresma: uma batalha espiritual

março 10, 2011

A quaresma começa com um gesto próprio e exclusivo: a imposição das Cinzas. Qual é o seu significado mais profundo? Certamente não se trata somente de um gesto exterior, mas de algo bastante profundo, que toca o nosso coração. As cinzas nos fazem compreender a atualidade das palavras do profeta Joel 2, 13: “Rasgai vossos corações, e não vossas vestes! Voltai ao Senhor vosso Deus, porque Ele é bom e compassivo!” Esta advertência é importante para todas as práticas religiosas: os gestos exteriores devem corresponder sempre a sinceridade da alma e a coerência das obras. Para que serve rasgar as vestes, se o coração permanece distante do Senhor, eis aquilo que conta: voltar para Deus, com o coração sinceramente arrependido, para obter a sua misericórdia.

 Um coração renovado e um espírito novo é o que pedimos com o Salmo 50,12:“Ó meu Deus, criai em mim um coração puro, e renovai-me o espírito de firmeza.” O verdadeiro cristão, consciente de ser pecador, deseja e busca a renovação espiritual.

 Todos os dias, mas sobretudo na Quaresma, o cristão deve enfrentar uma luta, como a de Jesus Cristo no deserto da Judéia, onde durante quarenta dias foi tentado pelo diabo,e depois no Getsémani, quando rejeitou a extrema tentação aceitando totalmente a vontade do Pai. Trata-se de uma batalha espiritual, que se destina contra o pecado e contra satanás. É uma luta que envolve totalmente a pessoa e exige uma vigilância atenta e constante.

 Santo Agostinho observa que quem deseja caminhar no amor de Deus, não pode contentar-se com a libertação dos pecados graves e mortais, mas “pratica a verdade reconhecendo também os pecados menos graves…  Também os pecados menos graves, se forem descuidados, crescem e causam a morte”.

 A Quaresma recorda-nos que a existência cristã é um combate incessante, no qual devem ser utilizadas as “armas” da oração, do jejum e da penitência. Lutar contra o mal, contra qualquer forma de egoísmo e de ódio, e morrer para si mesmos para viver em Deus é o programa de vida de cada discípulo de Jesus.

Nesta quaresma siga o conselho de Jesus em Mt 6,6: “Quando orares, entra no teu quarto, fecha a porta e ora ao teu Pai em segredo; e teu Pai, que vê num lugar oculto, recompensar-te-á.”

 O modo simples para viver estas palavras é:

 – reservar um tempo diário para a oração pessoal;

 – fazer uma visita semanal ao Santíssimo Sacramento;

 – participar com todo fervor da santa missa dominical;

 – preparar-se com um exame de consciência para uma boa confissão.

 Tenha presente que a finalidade da verdadeira prática religiosaé nos ajudar a crescer no amor verdadeiro,que não exclui ninguém,não julga pela aparência ou ouvi dizer, mas sabe fazer o bem e perdoar.

 

 Oração da Quaresma de Sto. Efrén

 Senhor e Mestre de minha vida,

afasta de mim o espírito de preguiça,

de abatimento, de domínio sobre meus semelhantes,

de falar sem necessidade,

e concede a mim, teu servo, um espírito de integridade,

de humildade, de paciência e de amor.

Sim, Senhor e Rei,

concede ver meus pecados e não julgar meus irmãos”

porque és bendito pelos séculos dos séculos. Amém.


Existe possessão do demônio nas casas?

fevereiro 4, 2011

 

 Os demónios conheciam bem Jesus e não suportavam a Sua presença, porque Ele tinha vindo para arruinar e destruir o seu reino. Jesus tinha o poder de os expulsar e exerceu-o muitas vezes: “Pela tarde, apresentaram-lhe muitos possessos de demônios. Com uma palavra expulsou ele os espíritos e curou todos os enfermos.”( Mt 8,16). Os espí­ritos do mal nada podiam contra Ele.

 Aquilo que Jesus fez tantas vezes não podia parar ali, deveria continuar depois da Sua ressurreição. Por isso, Jesus conferiu aos seus discípulos o poder de expulsar os demó­nios: “Então chamou os Doze e começou a enviá-los, dois a dois; e deu-lhes poder sobre os espíritos imundos.”( Mc 6,6).

 E os discípulos agiram com esta autoridade, como lemos em Mc 6,13: “Expeliam numerosos demônios, ungiam com óleo a muitos enfermos e os curavam.”A ordem de Jesus para expulsar os demôniosnão foi somente para os discípulos, mas para a Igreja em todos os tempos. Hoje, com a autoridade que Jesus nos deu e em seu nome, podemos fazer aquilo que Jesus fez.

 Atualmente, assistimos ao fenómeno da possessão diabólica não só nas pessoas, mas também nas casas e nos objectos. Chama-se a isso de infestação. Dizem os exorcistas que nos lugares onde existe a prática da magia, feitiçaria, satanismo, com a finalidade de provocar o mal para os outros, mais facilmente existe a infestação de casas. Os “sintomas” mais comuns da infestação das casa é o movimento estranho de coisas, barulhos sem explicação, odores. Também é possível causar mal estar toda vez se se entra no local, como causar desarmonia e outros problemas semelhantes entre os seus moradores.A infestação não causa possessão nas pessoas.

 O Brasil é citado como um dos países mais dominados pela influência de crenças supersticiosas e voltadas para fazer o mal para as pessoas. Uma multidão de pessoas de todas as classes sociais procura astrólogos, tarólogos, magos… para saber do futuro, como realizar seus negócios e, infelizmente, também como destruir os inimigos ou concorrentes. Daí a importância de criar como que uma barreira para que o mal não afete os moradares ou quem frequenta aquele lugar.

 É muito comum parentes, pessoas próximas, pessoas próximas sentirem, ciúmes da felicidade de uma família, ou inveja da prosperidade, e assim tentarem fazerem algum tipo de mal para destruir a harmonia familiar ou o sucesso do trabalho ou negócio.

 O primeiro passo é  Certificar-se de estar unido a Jesus. O demônio nao pode afetar a pessoa ou ambiente vivendo no Senhorio de Jesus.

 Segundo passo não dê espaço em seu coração, casa, família para o pecado. Se reconhecer alguma mentira, desonestidade, ciúme…faça uma confissão e repare o mal.

 Terceiro passo: faça uma asperção da casa com a água benta, rezando Salmo 90 e o pequeno exorcismo de Sao Miguel, ou a oração de libertação de todo mal (abaixo)

 Quarto passo: rezem o terço em família e não faltem a missa dominical.

 Quinto passo: não tenha medo de queimar ou quebrar qualquer objeto ou folheto ligado a alguma falsa doutrina.

 Este pequenos e simples atos de fé tem o poder para devolver para as casas, famílias e ambientes de trabalho a paz, harmonia e prosperidade.

 

Pequeno exorcismo de São Leão XIII

 São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate, sede o nosso refúgio contra as maldades e ciladas do demônio. Ordene-lhe Deus, instantemente o pedimos, e vós, príncipe da milícia celeste, pela virtude divina, precipitai no inferno a satanás e aos outros espíritos malignos, que andam pelo mundo para perder as almas.

 

Oração de libertação de todo mal

 Eis aqui a † Cruz de nosso Senhor Jesus Cristo,

que garante a salvação e a vida eterna,

a † Santa Cruz que derrota todos os espíritos malignos.

† Retira-te de nós, habitante das trevas, oposto aos desígnios do Deus Altíssimo.

† Afasta-te, não importa porque meio tenhas vindo:

bruxaria, feitiçaria, malefícios, magia negra,

maldições familiares, mal oculto, amarrações.

Sob o comando de São Miguel Arcanjo, que te precipitou nos infernos,

assim te ordenamos, espírito maligno,

inimigo do gênero humano,

que não voltes mais a fazer mal a nós aqui presentes. Amém.

Pe. Pio enfrentando o demônio – filme sobre a vida do santo


Diário de uma peregrinação – parte 9 – A aparição de La Salette

junho 1, 2010

 

O Santuário de La Salette é o convite para subir nas alturas de Deus. A Virgem Maria nos conduz para um lugar fabuloso.  A beleza da natureza manifestada  nas  montanhas, abre o coração para reconhecer como é grande e poderoso o nosso Deus. A estrada estreita e cheia de curvas exige muita perícia. Graças a Deus o nosso motorista é muito experiente! Quando olhamos para baixo o coração aperta, e vem um frio no estomago.

No alto da montanha destaca-se todo o complexo do Santuário, composto pela igreja e o edifício para acolher os peregrinos. É um lugar isolado de tudo, e ao mesmo tempo apropriado para quem esta buscando um encontro mais profundo com Deus. A maioria dos visitantes permanece somente um dia, mas existem acomodações para uma estadia mais prolongada. No inverno é quase impossível visitar o santuário devido à neve.

Quando chegamos ao nosso destino estava frio, com um lindo céu azul de Nossa Senhora. A temperatura espiritual foi às alturas. Andamos do estacionamento até a fonte das águas milagrosas.  Todos beberam tendo em mente a promessa de Jesus sobre a água viva! Temos o impacto das imagens de Nossa Senhora de La Salette. É como se ela estivesse dizendo vivam a minha mensagem! Logo a seguir celebramos a santa missa, tendo sido recepcionados pelo superior da casa, um padre brasileiro. Um acolhimento de amigo e pastor zeloso.

Conhecendo a aparição de La Salette

Aconteceu em 19 de setembro de 1846. Reconhecida pelo papa Pio IX, em 1851.

Nossa Senhora apareceu a dois videntes: Melanie Calvat uma simples pastora de 15 anos, e Maximin Giraud de 11 anos.

A mensagem é um chamado à conversão. Destacam-se três pontos:

1-    Oração perseverante e profunda:

Nossa Senhora perguntou aos videntes: “Fazeis bem vossas orações? Não muito bem, Senhora…” Ela os exorta a rezar diariamente pela manhã e a tarde.

2-    Participação na santa missa:

Nossa Senhora disse: “Durante o verão somente algumas mulheres idosas vão a missa.”

A mãe do céu aponta para Jesus presente no Santíssimo Sacramento. Mostra-nos a importância de alimentar a nossa fé com a Palavra e Eucaristia.

3-    Recuperar nossa dignidade agindo como cristãos:

Nossa Senhora faz uma afirmação forte: “ Durante a quaresma vão ao açougue como cães.”

Na  Sagrada Escritura a comparação do povo aos cães acontece quando este perde a consciência de ser a principal obra criada por Deus.

Nossa Senhora de La Salette traz um crucifixo com um martelo e um alicate. O primeiro simboliza o pecador cravando Jesus na cruz com seus pecados; e o segundo aqueles que por meio de uma vida de santidade removem os pregos.


Diário de uma peregrinação – parte 7 – A aparição do Sagrado Coração Jesus e São João Maria Vianney

maio 28, 2010

 

O papa Leão XIII afirmou que Paray-le Monial é  “uma cidade querida pelo céu”. É uma localidade graciosa com 12.000 habitantes. Chama a atenção a presença de peregrinos de todas as partes do mundo, e também de todas as idades. Todos trazem no coração o desejo de rezar na simples, pequena e acolhedora capela da Aparição do Sagrado Coração de Jesus a Santa Margarida Maria Alacoque. Esta manifestação do Senhor aconteceu de 1671 a 1690.

O movimento da cidade se deve principalmente ao fluxo religioso. A nossa passagem será breve. O grupo ficou em dois pequenos hotéis estratégicos. Um diante da capela das aparições do convento das irmãs da visitação, e o outro a uns 500 mts. Chegamos na parte da tarde. Pudemos rezar no mesmo lugar da aparição do Sagrado Coração, e também comprar algumas lembranças.

Na fachada da capela esta uma placa com uma inscrição emocionante: “Nesta capela aconteceram as principais aparições do Sagrado Coração a Santa Margarida Maria…” Estas palavras nos fazem entrar na capela com reverência e confiança nos cuidados de Jesus. Os olhos e o coração são inundados pelo amor de Deus.

Quem celebra a 1’ sexta-feira do mês, faz a consagração e tem entronizada a imagem do Sagrado Coração de Jesus se sente em casa. É uma experiência para trazer mais fervor, e confirmar todas as graças de Jesus.

No dia seguinte, pouco antes das 08 hs da manhã, temos a missa na capela das aparições. Próximo deste local esta a capela de São Cláudio La Colombier, diretor espiritual de Santa Margarida. Este piedoso sacerdote foi o suporte para a difusão da devoção ao Sagrado Coração. A nossa peregrinação não seria completa sem esta visita.

Voltamos para os ônibus, passando pela grandiosa Basílica do Sagrado Coração, construída pelos monges de Cluny, entre os séculos XI e XII. Ela esta ao lado do Convento das irmãs da visitação. Próxima parada a pequena de cidade de Ars, para visitar São João Maria Vianney – o Santo Cura d´ Ars.

A cidade de Ars, sinal do poder da oração!

Estar  na pequena Ars é uma experiência indescritível. Parece algo perdido no interior da França. E de fato é. Deus sempre confunde os homens.  Imaginamos serem necessárias uma série de condições para pregar o evangelho com eficácia. São João Maria Vianney prova o contrário. Sem estar em um lugar estratégico, e nem possuir a facilidade dos meios de comunicação,  alcançou  multidões.

Nasceu e cresceu no tempo conturbado da revolução francesa. Esta tentou apagar todos os vestígios da fé cristã, sem êxito. A família de São João Maria Vianney era simples e profundamente religiosa. Aí desabrochou a vocação deste grande santo. Existiam dois problemas para ir para o seminário: sua família era pobre e a dificuldade de aprendizado. Deus providenciou  a solução para todas as dificuldade, e finalmente é ordenado.

Quem chega a Ars fica admirado como é pequeno este lugar. No tempo do Cura d´ Ars era menor ainda: 250 habitantes. A participação na santa missa era praticamente nula. São João Maria Vianney não se deixou intimidar. Por quê? Confiava no poder a oração.

O programa de ação foi muito simples: levantava de madrugada para rezar o terço e o breviário junto ao Santíssimo Sacramento, celebrava diariamente a santa missa, tomava café e visitava as casas dos paroquianos. Em pouco tempo, com o crescimento do rebanho, acrescentou o atendimento das confissões. Os frutos não demoraram, ao ponto de três anos depois da sua chegada escreveu: “Encontro-me numa paróquia de muito fervor religioso e que serve a Deus de todo o seu coração”.

A fama de santidade e a força de sua pregação atraíram pessoas de todas as partes da França e outros países. O governo francês foi obrigado a facilitar o acesso a Ars por meio do trem. Visitar a pequena Ars é aprender o significado da simplicidade e a força da fé para transformar vidas e ambientes.

Atravessar as portas da igreja de Ars significa respirar a presença de Deus. Causa impacto passar diante do corpo incorrupto de São João Maria Vianney. Neste lugar de oração e da conversão de tantas pessoas, rezei pelos meus irmãos sacerdotes, e por mim, pedindo a graça do mesmo zelo espiritual e pastoral do santo cura d´ Ars.

Chama atenção a casa simples onde viveu este santo homem. Tinha somente o essencial. A sua riqueza foi Deus!


Diário de uma peregrinação parte 3

maio 14, 2010

Dia 13 de maio de 2010

Este é o grande dia da aparição de Nossa Senhora aos três pastorinhos de Fátima. A cidade esta ainda mais repleta de peregrinos.  As motivações não faltam: dia da primeira aparição, dez anos da beatificação de Jacinta e Francisco, e para coroar tudo, a presença de um peregrino ilustre, o querido papa Bento XVI.

O céu esta nublado e cai uma garoa contínua. Vejo as pessoas com os seus guarda-chuvas e capas, caminhando apressadamente para o Santuário. Também visto uma roupa para me proteger da chuva e frio. No coração levo os meus pedidos pessoais,  e de todas as pessoas que se recomendaram as minhas orações. Hoje o céu esta em festa.  A presença da multidão para celebrar a aparição é sinal de estarem atendendo ao apelo da Virgem Maria. A missa é a maneira excelente para também viver  o pedido de Maria nas bodas de Caná: “ Fazei tudo o que Ele – Jesus – vos disser.” Este é um dia para crer e receber milagres!

No caminho para a esplanada do Santuário fico sabendo que o papa passaria onde eu estava. Resolvi ficar para vê-lo bem próximo. O cortejo papal avança lentamente, o sorriso contagiante do sucessor de Pedro comove a todos. Ele para por alguns instantes para beijar e abençoar uma criança. A multidão vibra durante a sua passagem até a capelinha das aparições. Aí irá se paramentar. Tremulam as bandeiras de Portugal e outros países. Começa a procissão de entrada com a imagem de Fátima.

O papa sobe as escadarias para chegar ao altar diante do santuário velho. Quando se volta para agradecer a recepção calorosa, recebe uma nova aclamação. Ninguém se contém. No rosto de todos se vê a alegria pela presença deste homem extraordinário. Ele nos ajuda a crer com o coração e a razão.

Olho para o céu, e as nuvens deram lugar para o céu aberto com sol! Passada a emoção,  a  maioria das pessoas demonstra reverência e piedade para participar da santa missa.

Os pastorinhos tinham um carinho todo especial pelo papa. Por isso, a presença de Bento XVI é também um presente espiritual a estas crianças tão generosas e cheias de fé.

 


Pausa para sorrir

março 11, 2010

Uma padre encontra um jovem conhecido e pergunta: “ Você quer fazer parte do exército do Senhor?” O rapaz responde: “Sim!.” “Então, por que você só participa da missa no Natal?”. “ Não falaram para o senhor? Eu pertenço ao serviço secreto.”