Precisamos do Espírito Santo!

maio 28, 2011

Nosso Senhor Jesus Cristo nos revela que existe somente uma forma para provar que somos seus discípulos: “Se me amais, guardareis os meus mandamentos.” (Jo 14,15).

Para Jesus o testemunho do nosso amor por Ele,deve se manifestar na alegria de viver o evangelho. E isso não se faz somente com boas intenções ou palavras bonitas, mas sobretudo através de atos. Ninguém pode dizer amar a Jesus e ao mesmo tempo fazer o mal. O egoísmo, ódio, mentira, desonestidade, adultério, violência…são próprios de quem não vive Jesus.

Pelas nossas próprias capacidades jamais seríamos capazes de viver assim. Por isso, a quem esta pronto a amar e viver os seus mandamentos, Jesus promete: “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Paráclito, para que fique eternamente convosco.” (Jo 14,16)

A palavra Paráclito, em grego tem vários significados: pessoa que ajuda em uma situação de angústia, defende de algum perigo, aconselha…

Jesus mostra aos seus discípulos a importância do Espírito Santo: quem o tem recebe força e luz para enfrentar a vida,e mudar da derrota para a vitória. O Espírito Santo é um dom, isto é, presente gratuito para quem?

Jo 14,15-16

“Se me amais, guardareis os meus mandamentos.E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Paráclito, para que fique eternamente convosco.”

Espírito Santo tem como missão continuar a obra de Jesus. Ninguém experimenta a alegria do amor de Deus,e a manifestação de suas maravilhas,se não estiver cheio do Espírito Santo. Aí esta a causa da força o fraqueza de muitos cristãos.

Sto. Inácio de Antioquia, que morreu mártir em Roma, no início do II século, afirmava que o Espírito Santo é como uma fonte jorrando no coração e sussurra: “Vem, vem para Deus”.

São João Maria Vianney escreveu “Aqueles que possuem o Espírito Santo não produzem nada de mau; todos os frutos os frutos do Espírito Santo são bons…quando se possue o Espírito Santo, o coraçao dilata-se e mergulha no amor de Deus.”

O Espírito Santo nos ajuda a entender a necessidade de buscar a Deus, e a viver a fé com entusiasmo. Ele dá força para vencer o pecado, acabar com a escravidão dos vícios, e crer em milagres. O Espírito Santo tira o medo de testemunhar Jesus.

Não podemos tratar o Espírito Santo como um estranho, Ele habita em nós, pois o recebemos no batismo. Deixá-lo agir significa a coragem para se tornar uma nova criatura, um outro Cristo.

O Espírito Santo precisa de nós para ser Paráclito. Ele quer consolar, defender, exortar; mas não tem boca, mãos, olhos para «dar corpo» a seu consolo. Uma vez transformados por Ele, as nossas mãos, nossos olhos, nossa boca passam a ser o canal para chegar nas pessoas e no mundo.

Precisamos reconduzir a Igreja ao cenáculo, para isso precisamos pedir todos os dias ao Espírito Santo para que nos guie e ilumine.

Reze comigo:

Oração_ao_Espírito_Santo

Anúncios

FÉ E CURA

abril 8, 2011

 Quando lemos os relatos das curas realizadas por Jesus vemos que existe um padrão comum: a fé. As curas não aconteciam em virtude da fé de Jesus, e sim pela fé de quem pedia.

 Quando existia esta confiança no poder de Jesus, a cura era liberada. Em Mt 9,28-30 temos um deste testemunhos:“Jesus entrou numa casa e os cegos aproximaram-se dele. Disse-lhes: Credes que eu posso fazer isso? Sim, Senhor, responderam eles.Então ele tocou-lhes nos olhos, dizendo: Seja-vos feito segundo vossa fé. No mesmo instante, os seus olhos se abriram.” Estes cegos estavam convictos do poder de Jesus para curá-los, e, por isso, não permitiram que nada os impedisse de encontrá-lo. Aí esta apresentada a fé em ação.

 Quando somos movidos pela fé, nada nos impede de chegar a Jesus, porque no coração temos a certeza de que somente Ele tem a solução,para todas as nossas necessidades.

 Este mesmo padrão o encontramos na cura de um paralítico, relizada por Sao Paulo em Atos 14,8-10: “Em Listra vivia um homem aleijado das pernas, coxo de nascença, que nunca tinha andado. 9. Sentado, ele ouvia Paulo pregar. Este, fixando nele os olhos e vendo que tinha fé para ser curado, 10. disse em alta voz: Levanta-te direito sobre os teus pés! Ele deu um salto e pôs-se a andar.” A cura aconteceu porque o paralítico tinha fé para ser curado!

 É urgente crescer na fé para ser curado.

 Como crescer na fé?

 1º Ponto:  A fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus: “a fé provém da pregação…” (Rm 10,17)

  Ponto – Acreditar no poder de Jesus para curar:  “Disse-lhe Pedro: Enéias, Jesus Cristo te cura: levanta-te e faze tua cama. E levantou-se imediatamente.” (Atos 9,34). Pedro não fez uma oração longa, e nem usou muitas palavras.  Ele somente disse: Enéias, Jesus Cristo te cura!

 3º Ponto – A cura já nos foi dada na cruz de Jesus para todas as enfermidades. “Pela tarde, apresentaram-lhe muitos possessos de demônios. Com uma palavra expulsou ele os espíritos e curou todos os enfermos. Assim se cumpriu a predição do profeta Isaías: Tomou as nossas enfermidades e sobrecarregou-se dos nossos males (Is 53,4).” (Mt 8,16-17). Para Jesus não importa se a doenç é o pecado, tentação, depressão, enfermidade física, problema familiar ou profissional, existe o remédio para cada doença.

 A parte de Jesus foi realizada na cruz, a nossa é crer no seu poder. Quando o poder de Jesus se encontra com a nossa fé, acontece o milagre.

 

 

 

Bispo certifica novo milagre da Virgem da Lourdes

 O Bispo de Angers (França), Dom Emmanuel Delmas, proclamou o milagre número 68 oficialmente reconhecido da cura de um homem que tinha perdido virtualmente a mobilidade na perna esquerda, ocorrido no dia 13 de abril de 2002, quando peregrinou ao Santuário da Virgem da Lourdes.

O Comitê Médico de Lourdes, composto por 20 doutores, constatou a “súbita cura funcional, sem relação com terapia alguma e mantida até a atualidade, 8 anos depois” que Serge François, um homem de 56 anos que logo depois de sua cura fez o caminho de Santiago da Compostela a pé, percorrendo 1 570 quilômetros, para agradecer por esta graça.

Sobre o milagre, Dom Delmas recorda que este foi produzido quando Serge “logo depois de ter rezado perante a Gruta se dirigiu às fontes para beber e lavar o rosto. Pode-se ver nesta cura uma atuação particular da Virgem Maria para com este homem”.

Para o Bispo, “esta cura pode ser considerada como um dom pessoal de Deus para este homem, como um ato de graça, como um sinal de Cristo Salvador”.

Serge François, tinha perdido virtualmente a mobilidade na perna esquerda por uma hérnia de disco aparecida por complicações cirúrgicas relacionadas a duas operações. Depois da cura, assinala o jornal La Razón, cresceu sua vida de fé e de oração, e hoje reza muito por outros doentes. Voltou para a Lourdes em 2003, informou sobre o seu caso ao Comitê Médico e assim teve início o processo de estudo do caso.

Sobre o caso, o Bispo de Tarbes e Lourdes (França), Dom Jacques Perrier, afirmou em uma nota publicada no site do Santuário na internet, que “os médicos de hoje em dia são reticentes ante o qualificativo ‘inexplicável’, a menos que se acrescente ‘no marco dos conhecimentos científicos’. Preferem ater-se a um fato: tal cura é hoje inexplicável. Esta reserva lhes parece indispensável para não ser desqualificados logo por aqueles colegas que rejeitam o inexplicável”.

 

 

 

 

 


Deus ainda cura?

outubro 12, 2010

Eu ouço constantemente as pessoas dizerem “É a vontade de Deus” ou “Tenho que me conformar com a situação”, quando são confrontadas com uma doença grave ou uma tragédia. O cristão não pode cair nesta armadilha da fatalidade ou conformismo diante da vida. O nosso Deus é maior do que todos os problemas! Para Ele não existem coisas impossíveis! Jesus disse aos seus discípulos que “que é necessário orar sempre sem jamais deixar de fazê-lo.” (Lc 18,1), e logo a seguir perguntou “Por acaso não fará Deus justiça aos seus escolhidos, que estão clamando por ele dia e noite? Porventura tardará em socorrê-los?” (Lc 18,7).

 Aprenda a orar a Deus pedindo a cura. Não Pare. Não desista. Não deixe seus pensamentos, circunstâncias, aparentes demoras ou pessoas tirarem do seu coração a certeza de que Deus salva, cura, liberta, conforta, renova. E Ele faz tudo isso porque é amor!

 Nosso Senhor Jesus Cristo dedicou boa parte do seu ministério para curar e libertar as multidões que o seguiam: “Pela tarde, apresentaram-lhe muitos possessos de demônios. Com uma palavra expulsou ele os espíritos e curou todos os enfermos.” (Mt 8,16). Ele fez os seus discípulos entenderem a importância de continuarem esta obra: “Por onde andardes, anunciai que o Reino dos céus está próximo.   Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. Recebestes de graça, de graça dai!” (Mt 10,7-8). No livro de Atos dos Apóstolos vemos os as curas acontecendo. Na história da Igreja temos o relato da vida dos santos e dos santuários mostrando a beleza do poder de Deus. Estas evidências apontam para a certeza de que onde existir uma pessoa enferma a bênção estará sempre a disposição. Basta crer, pedir, interceder e Deus abrirá as comportas do céu!

 Não se espante com as minhas afirmações. É a Bíblia quem nos dá o incentivo para orar pela cura. Por exemplo em Tg 5,14-15: “Está alguém enfermo? Chame os sacerdotes da Igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor. A oração da fé salvará o enfermo e o Senhor o restabelecerá. Se ele cometeu pecados, ser-lhe-ão perdoados.” e completa “Confessai os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros para serdes curados. A oração do justo tem grande eficácia.” (Tg 5,16).

 Só alguém que enfrenta ou partilha de uma grave doença, dor ou tragédia sabe como é difícil este momento. Eles sabem como é duro lidar com o medo e a incerteza. Eles sabem como soa absurdo quando alguém diz Não podemos perder a esperança”. Eles sabem como é terrível lidar com a dúvida. Jesus disse: “se tiverdes fé, como um grão de mostarda, direis a esta montanha: Transporta-te daqui para lá, e ela irá; e nada vos será impossível.” (Mt 17,19-20). Estas palavras são cheias de ternura, pois Nosso Senhor esta falando da importância de dar crédito à Palavra de Deus. Isso é fé. Nunca se imagine indigno de merecer o favor de Deus. Ele esta sempre pronto a agir em sua vida!

 Deus abençoe você e atenda todas as suas intenções! Ele tem um milagre para a sua vida! Coragem!

Sinta nestas palavras, a minha oração pessoal por você:

 Deus dos impossíveis, em nome de Jesus,

envia o Espírito Santo, sobre teus filhos e filhas,

para despertar a fé, e conceder todas as graças e milagres,

para este momento de suas vidas!

Se você quiser aprofundar este tema quero recomendar a leitura deste livro de minha autoria:

Você o adquire nas melhores livrarias católicas, ou entrando agora em nossa loja virtual:

http://www.lojaencontrocomcristo.com.br/produtos_descricao.asp?lang=pt_BR&codigo_produto=29


Você crê em milagres?

setembro 6, 2010

Você acredita em milagres? Esta é uma pergunta simples e direta. Eu pessoalmente creio em milagres, pelo fato de crer no poder de Deus para intervir na vida das pessoas e também mudar o curso da história.

 O primeiro grande milagre é o da criação. Em Gn 1,3 esta escrito: “Deus disse: “Faça-se a luz!” E a luz foi feita”. Toda a seqüência da história da salvação é o testemunho evidente da manifestação sobrenatural de Deus.

 O sinal supremo da manifestação do poder e amor de Deus esta presente na pessoa de Jesus: “de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.”(Jo 3,16). Os três anos de seu ministério foram marcados pelos sinais, prodígios e maravilhas: Pela tarde, apresentaram-lhe muitos possessos de demônios. Com uma palavra expulsou ele os espíritos e curou todos os enfermos.” (Mt 8,16).

 Este mesmo poder foi dado aos apóstolos, e como conseqüência à Igreja: “Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. Recebestes de graça, de graça dai!” (Mt 10,8). O livro de Atos dos Apóstolos é a prova incontestável que os milagres acompanhavam a pregação dos primeiros cristãos: “realizavam-se entre o povo pelas mãos dos apóstolos muitos milagres e prodígios.”(Atos 5,12).

 A história da Igreja até os nossos dias esta marcada pelos milagres anônimos e aqueles que ficaram registrados pelo testemunho dos santos ou grandes santuários.

 O cristão não pode perder esta dimensão dos milagres com o risco de transformar a sua fé em mera filosofia de vida. O cristianismo é muito mais do que um conjunto de palavras sábias de um mestre espiritual. Jesus é o Filho de Deus, que se fez carne e veio habitar entre nós. Ele morreu e ressuscitou. Quem Nele crê tem a experiência de trazê-lo vivo em seu coração.

 Uma das conseqüências de estar com Jesus é apresentada em Jo 14,12: “aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço, e fará ainda maiores do que estas, porque vou para junto do Pai.”. O milagre é a confirmação destas palavras. Não é nem mais e nem menos. Se cremos na Palavra de Jesus, recebemos o seu efeito. A fé não é a força do pensamento positivo, mas a certeza de que Deus cumprirá Suas promessas.

 Por isso, todos os dias mantenha-se em comunhão com Deus. Isso você fará pela oração, leitura da Palavra, participação nos sacramentos, de modo especial a Eucaristia, a devoção mariana…Nas horas mais difíceis, lembre-se e ore com as promessas de Deus. Tenha no coração a certeza de promessa de Jesus em Mc 16,17: “Estes milagres acompanharão os que crerem…”

Quer aprofundar este tema emocionante? Leia o meu livro:

Você o encontra nas livrarias católicas ou adquire imediatamente no meu site:

http://www.lojaencontrocomcristo.com.br/produtos_descricao.asp?lang=pt_BR&codigo_produto=29

 

 

 

 

 

 

 

 


Mãe de Misericórdia

maio 21, 2010

Benoite Rancurel (1647-1718) vive no seio de uma família pobre nos Alpes franceses. Quando o pai morre, tem ela sete anos, Benoite fica a ajudar a famí¬lia trabalhando como pastora. Não pode ir à escola e nunca aprenderá a ler ou a escrever. Leva uma vida de oração profunda. Em 1664, aos dezassete anos, enquanto guardava as ovelhas, vê, pela primeira vez na sua vida, uma «Senhora muito bela com uma criança pela mão». Ao longo de toda a sua existência, a Virgem Maria vai aparecer-lhe frequentemente permitindo-lhe viver na sua intimidade. Como uma mãe, ela ensina e educa a sua filha. Benôíte fará passar a mensagem da Virgem Maria: «Quero construir em Laus (um pequeno lugar com seis ou sete fogos) uma Igreja em honra do meu mui¬to amado Filho. Muitos pecadores farão aí a sua conversão…» Numa época muito marcada pelo jansenismo, que apresenta a religião de forma austera e rigorosa, a Virgem Maria revela a Benoíte a Misericórdia Divina que perdoa os pecadores.

A partir de 1665, as multidões começam a afluir. Duas graças específicas são realizadas neste lugar.

—      A graça da cura: Benoíte enumera não menos de uma centena de curas miraculosas. A primeira delas perturba o vigário geral, mandatado pelo bispo para fazer um inquérito no local: uma mulher da região, conhecida de todos, paraplégica há seis anos, ficou curada. Cura total, instantânea, duradoura… e o vigário não cessa de repetir: «Nisto está o dedo de Deus… nisto está o dedo de Deus…»

—      A graça da conversão. Sem que haja uma exortação à penitência e ao perdão, um número cada vez maior de peregrinos sente necessidade de se reconciliar com Deus. Enquanto esperam pela construção da igreja, confessam-se ao ar livre.

Com o acordo do bispo, será construída uma basílica apenas em quatro anos, graças à ajuda dos pobres.

Benoíte, uma “simples leiga”, exercerá, durante toda a sua vida, o ministério da mediação. Ela transmite a palavra da Virgem aos sacerdotes. «Fala aos sacer¬dotes para que eles sejam santos. Para que recebam os peregrinos com enorme zelo e caridade cordial. Para que sejam afáveis e pacientes, sobretudo com os pecadores mais graves, para os conduzirem à penitência.» Aos peregrinos, ela repete as palavras da Virgem: «Falai aos pecadores. Levai-os a reconhecerem e a confessarem as suas faltas a um sacerdote para que sejam perdoados.» Neste lugar, a Virgem Maria é invocada como “Mãe de Misericórdia”.