Precisamos do Espírito Santo!

maio 28, 2011

Nosso Senhor Jesus Cristo nos revela que existe somente uma forma para provar que somos seus discípulos: “Se me amais, guardareis os meus mandamentos.” (Jo 14,15).

Para Jesus o testemunho do nosso amor por Ele,deve se manifestar na alegria de viver o evangelho. E isso não se faz somente com boas intenções ou palavras bonitas, mas sobretudo através de atos. Ninguém pode dizer amar a Jesus e ao mesmo tempo fazer o mal. O egoísmo, ódio, mentira, desonestidade, adultério, violência…são próprios de quem não vive Jesus.

Pelas nossas próprias capacidades jamais seríamos capazes de viver assim. Por isso, a quem esta pronto a amar e viver os seus mandamentos, Jesus promete: “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Paráclito, para que fique eternamente convosco.” (Jo 14,16)

A palavra Paráclito, em grego tem vários significados: pessoa que ajuda em uma situação de angústia, defende de algum perigo, aconselha…

Jesus mostra aos seus discípulos a importância do Espírito Santo: quem o tem recebe força e luz para enfrentar a vida,e mudar da derrota para a vitória. O Espírito Santo é um dom, isto é, presente gratuito para quem?

Jo 14,15-16

“Se me amais, guardareis os meus mandamentos.E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Paráclito, para que fique eternamente convosco.”

Espírito Santo tem como missão continuar a obra de Jesus. Ninguém experimenta a alegria do amor de Deus,e a manifestação de suas maravilhas,se não estiver cheio do Espírito Santo. Aí esta a causa da força o fraqueza de muitos cristãos.

Sto. Inácio de Antioquia, que morreu mártir em Roma, no início do II século, afirmava que o Espírito Santo é como uma fonte jorrando no coração e sussurra: “Vem, vem para Deus”.

São João Maria Vianney escreveu “Aqueles que possuem o Espírito Santo não produzem nada de mau; todos os frutos os frutos do Espírito Santo são bons…quando se possue o Espírito Santo, o coraçao dilata-se e mergulha no amor de Deus.”

O Espírito Santo nos ajuda a entender a necessidade de buscar a Deus, e a viver a fé com entusiasmo. Ele dá força para vencer o pecado, acabar com a escravidão dos vícios, e crer em milagres. O Espírito Santo tira o medo de testemunhar Jesus.

Não podemos tratar o Espírito Santo como um estranho, Ele habita em nós, pois o recebemos no batismo. Deixá-lo agir significa a coragem para se tornar uma nova criatura, um outro Cristo.

O Espírito Santo precisa de nós para ser Paráclito. Ele quer consolar, defender, exortar; mas não tem boca, mãos, olhos para «dar corpo» a seu consolo. Uma vez transformados por Ele, as nossas mãos, nossos olhos, nossa boca passam a ser o canal para chegar nas pessoas e no mundo.

Precisamos reconduzir a Igreja ao cenáculo, para isso precisamos pedir todos os dias ao Espírito Santo para que nos guie e ilumine.

Reze comigo:

Oração_ao_Espírito_Santo

Anúncios

Jesus ressuscitou! Você acredita?

abril 27, 2011

Este é o grande dia de nossa fé: o Domingo de Páscoa. Celebramos a vitória de Jesus sobre a morte, isto é, a sua ressurreição! Se Jesus não houvesse ressuscitado, teria sido somente mais um homem bom,um personagem da história, um fundador de uma grande religião. A ressurreição nos revela algo maior: Ele é Deus!

 Não podemos ficar indiferentes diante desta revelação. Jesus venceu a morte, o túmulo esta vazio. Ele não esta mais limitado a um corpo físico. Ele pode atravessar as paredes, e quem nele crê o tem vivo no coração.

 A Páscoa é a oportunidade para sair da noite dos nossos medos de crer em Deus, e também das nossas demoras para viver com entusiasmo a fé.

 No evangelho do domingo de Páscoa (cf. Jo 20,1-9) somos apresentados a duas mulheres: Maria Madalena e Maria. Elas presenciaram a condenação de Jesus. O chicote dos soldados rasgando seu corpo, a coroa de espinhos na cabeça, e com certeza choraram diante da sua dolorosa morte na cruz.

 Elas poderiam dizer: esta tudo acabado. E quem sabe voltar a rotina da vida, guardando a lembrança da ternura da ajuda de Jesus.

 Porém, alguma coisa no coração destas mulheres dizia para irem até o túmulo. Elas souberam deixar Deus conduzi-las, mesmo se ainda não entendiam porque ir até o túmulo.

 Quando seguimos a Jesus não estamos sozinhos, Deus nos acompanha com a sua graça.

O importante é não desistir, como fizeram estas mulheres. Quantas vezes os problemas da vida levaram você a desistir de lutar. E o resultado foi o sabor amargo do fracasso.

A atitude destas mulheres do evangelho são como um tapa em nossa frieza espiritual e no nosso esquecimento que Jesus esta vivo.

 Somente quem experimentou o amor de Jesus transformando a sua vida, é capaz de correr sempre ao seu encontro. Deus sempre surpreende quem nele confia.

Em Jo 20,1 esta escrito: “Viu a pedra removida do sepulcro” Alguns afirmam que a pedra foi removida para que Jesus saísse. Será que Deus precisava de ajuda para fazer Jesus sair? Seria o vencedor da morte tão fraco ao ponto de não ser capaz de empurrar a pedra do túmulo? Não acredito nesta possibilidade. Nenhum túmulo poderia deter Jesus ressuscitado. A pedra foi removida para que as mulheres pudessem olhar dentro.

 Aí esta a manifestação do poder de Deus: Ele remove os obstáculos que nos impedem ver e experimentar suas maravilhas.

 Não podemos ficar parados. É necessário seguir o exemplo das mulheres do evangelho: Elas correram….Primeiro para ir ao túmulo, e depois para falar do que viram.

 Precisamos aprender a buscar mais intensamente a Jesus, e testemunhá-lo. Muitas vezes, somos lentos, demorados, vemos dificuldade em tudo. Ou nos cansamos facilmente, e aí vamos abandonando nosso fervor.

 Se os problemas escureceram a nossa vida, deixemos a luz de Cristo iluminá-la.

 Ressuscitar é voltar à vida, levantar-se, erguer-se… pelo poder de Jesus.

 A cada domingo Deus nos atrai para receber o alimento dos ressuscitados:  Eucaristia.

 


Semana Santa: a nossa semana!

abril 16, 2011

          A semana santa começa no Domingo de Ramos. Uma semana cheia de alegrias, e também de dor para Jesus. Tudo começa com a entrada triunfal em Jerusalém. As pessoas acolhem Jesus espalhando as roupas pelo chão, fazendo como que um grande tapete real. Outras, cortam ramos para aclamá-lo com as boas vindas. São Lucas descreve esta cena de um modo emocionante: “Quando já se ia aproximando da descida do monte das Oliveiras, toda a multidão dos discípulos, tomada de alegria, começou a louvar a Deus em altas vozes, por todas as maravilhas que tinha visto. E dizia: Bendito o rei que vem em nome do Senhor! Paz no céu e glória no mais alto dos céus!(Lc 19,37-38).

          Na 5º feira santa, véspera da morte na cruz, durante os preparativos da última ceia, Jesus revela dois sentimentos fortes em relação a nós. O primeiro esta em Lc 22,15: “Tenho desejado ardentemente comer convosco esta Páscoa, antes de sofrer.”. Aí fica evidente o desejo do nosso maior amigo: encontrar-se continuamente conosco. E por quê este desejo? Em Jo 13,1 temos a resposta: “como amasse os seus que estavam no mundo, até o extremo os amou.”. Nesta noite feliz realiza o maior dos seus milagres: a Eucaristia: “Pegando o cálice, deu graças e disse: Tomai este cálice e distribuí-o entre vós. Pois vos digo: já não tornarei a beber do fruto da videira, até que venha o Reino de Deus. Tomou em seguida o pão e depois de ter dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. Do mesmo modo tomou também o cálice, depois de cear, dizendo: “Este cálice é a Nova Aliança em meu sangue, que é derramado por vós…” (Lc 22,17-20). Será possível o pão e o sangue se transformarem no Corpo e Sangue de Jesus? Se com a Sua Palavra curava, libertava das forças malignas e perdoava os pecados, também tem o poder para tornar realidade esta maravilha: Isto é o meu corpo… Este cálice é a Nova Aliança em meu sangue. É um privilégio participar desta noite, onde somos  mergulhados na grandeza do amor de Jesus por nós. Este amor é tão forte que se dá em alimento para a nossa salvação, cura, libertação e perdão.

          Na 6º feira santa aparece a contradição do coração humano. A multidão se volta contra Jesus e grita “crucifica-o…crucifica-o”. Em muitos lugares é dia de silêncio, oração… as pessoas se recolhem para meditar sobre o significado da cruz. Deus permite que carreguemos a cruz de certos problemas somente até o Calvário, quando aí chegamos, Jesus assume o nosso lugar. A celebração das 15 hs – hora da morte de Jesus – é o ponto alto deste dia de amor. Também é bonita a fé do povo de percorrer as ruas com a Via Sacra.

          Chega o sábado com a Vigília Pascal. Esta é uma das celebrações mais antigas da Igreja. É a espera da ressurreição. Muitos são os símbolos usados para nos ajudar a viver o significado profundo desta noite santa. O sacerdote acende o fogo novo, sinal da força do Espírito de Deus para avivar a chama da nossa fé. A Igreja escura, recorda como é o mundo sem Deus. Acender as velas aponta para Jesus, luz do mundo, e renova no coração de todos a alegria e esperança. A benção da água e a renovação das promessas batismais, demonstra o nosso valor aos olhos de Deus: somos Seus filhos amados, ninguém esta excluído deste amor!

          Finalmente, chegamos ao grande dia: Domingo de Páscoa. Depois de tantos acontecimentos dramáticos, a conclusão é incrível! Jesus ressuscita dos mortos. Ele esta vivo! Ele fez tudo isso por causa de você.

          A semana santa é o convite de Deus para a aventura de uma vida rica de bênçãos e vitórias. Tudo aconteceu rapidamente, como é a própria vida. Não podemos perder tempo olhando para trás, remoendo erros ou oportunidades perdidas. Existe esperança. Você pode transformar a morte em vida! Basta aprender as lições da semana santa.

          Esta é hora de Deus para a sua vida! Levante os ramos acolhendo Jesus no coração. Entre na sala do cenáculo contínuo da santa missa. Una-se à doce Virgem Maria e ao discípulo amado aos pés da cruz. Acenda a luz da nova vida, renovando a graça da sua amizade com Jesus. E por fim no Domingo de Páscoa, eleve o seu canto de Aleluia!

Feliz Páscoa! Feliz Páscoa! Feliz Páscoa! Feliz Páscoa!

 

 


Deus cura hoje

março 26, 2011

Quando as pessoas me perguntam se eu acredito na cura das enfermidades, a minha resposta é afirmativa. Por que eu acredito? Quando abro os evangelhos tenho diante dos meus olhos o testemunho e a pregação de Jesus. Ele foi o maior ministro de cura de todos os tempos.

 O papa Bento XVI  ensina “os Evangelhos atestam que Jesus anuncia a Palavra e realiza curas de doentes.” E de fato, quase um quinto dos evangelhos é dedicado ao ministério de cura de Jesus.

 Bastava o povo saber da presença de Jesus e aí aconteciam milagres:

                                                                                                                                                                                                     Mc 6,56

“Onde quer que ele entrasse, fosse nas aldeias ou nos povoados, ou nas cidades, punham os enfermos nas ruas e pediam-lhe que os deixassem tocar ao menos na orla de suas vestes. E todos os que tocavam em Jesus ficavam sãos.”

 Ele curava porque estava cheio de misericórdia, e se preocupava com os doentes e sofredores. A pregação de Jesus era sempre acompanhada pela manifestação de conversões, curas e milagres.

 Quando se fala de cura é necessário lembrar de todas as suas dimensões: a cura das doenças do corpo, da mente e do espírito. Jesus nos cura por inteiro:  cura nosso ser total.

 Ele ensinou aos seus discípulos que pregar o evangelho, significa salvar quem esta perdido, libertar quem esta oprimido por alguma força maligna, curar quem esta doente. Lemos em Lc 9,1: “Reunindo Jesus os doze apóstolos, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios, e para curar enfermidades.” Os discípulos receberam a ordem para continuar a pregar e curar.

 Os primeiros cristãos oravam para que o Senhor confirmasse a pregação com conversões, curas e outros sinais de poder.

 Um exemplo desta verdade a encontramos em Atos 4,29-30: “Agora, pois, Senhor, olhai para as suas ameaças e concedei aos vossos servos que com todo o desassombro anunciem a vossa palavra. Estendei a vossa mão para que se realizem curas, milagres e prodígios pelo nome de Jesus, vosso santo servo! ” Este é o retrato do cristão cheio do Espírito, ora com confiança e ousadia.

 Hoje são poucos os que ousam orar com fé em favor dos enfermos. Não devemos ter medo de orar e acreditar que Deus cura ainda hoje.

 Tenha sempre presente a promessa de Jesus em Mc 17,17-18: “Estes milagres acompanharão os que crerem: expulsarão os demônios em meu nome, falarão novas línguas, 18. manusearão serpentes e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal; imporão as mãos aos enfermos e eles ficarão curados.” Estas palavras dão de um modo evidente a confirmação que a oração pelos doentes faz parte da missão confiada por Jesus à Igreja.

 Se Jesus ordenou eu tenho que orar, não posso privar o povo de ser abençoado. Eu vou orar e Ele vai agir. Eu serei o instrumento, Ele curará. Agradeço a Deus por tocar os doentes com a sua benção restauradora.

É o que aconteceu no dia 6 de Março de 2011 em nosso Louvor de Carnaval: Um senhor (Osvaldo Ruivo, Jardim das Palmas, cidade de Sao Paulo), tinha manchas escuras pelo seu corpo e também sofria de um derrame ocular. Durante a oraçao de cura foi revelado que uma pessoa com  manchas no corpo estava sendo curada, como também o problema do olho direito. No dia seguinte a pele, depois de anos de manchas, estava novamente normal, e não tinha mais nada no olho direito. Este é um sinal de que Deus ainda cura quem o busca de todo o coração. Louvado seja o nosso Deus pelas suas maravilhas.

 

Polêmico Roteirista de Hollywood revela sua conversão ao Catolicismo

Joe Eszterhas é um roteirista de cinema conhecido em Hollywood como o criador do “thriller erótico”, um gênero composto por filmes escuros que combinam o sexo e a violência. Em uns dias publicará seu mais recente livro no que narra sua assombrosa conversão ao Catolicismo.
Eszterhas se fez milionário por escrever os roteiros de filmes bem sucedidos como Basic Instinct, Showgirls e Jagged Edge, todas conhecidas por seu explícito conteúdo sexual. Além disso foi editor da revista Rolling Stone.

O escritor, nascido em 1944, cresceu em campos de refugiados na Hungria depois da Segunda guerra mundial até que chegou com sua família a Cleveland. Estados Unidos. Trabalhou como repórter de notícias policiais, cobrindo incontáveis tiroteios e brigas urbanas.
Nesse tempo, conta que sua vida era muito escura, cheia de morte, assassinatos, crímes e caos, o que marcou sua posterior carreira de roteirista.
No verão do ano 2001, Eszterhas foi diagnosticado com câncer de garganta. Deveu submeter-se a uma delicada cirurgia e recebeu a ordem médica de deixar o álcool e o tabaco. Eszterhas tinha 56 anos, sempre teve um estilo de vida meio louco e sabia que mudar seus hábitos não seria fácil.

Um dia, que Eszterhas descreve como “infernalmente caloroso”, estava caminhando pela rua quando se deu conta que sua vida tinha tocado fundo.
“Estava virando maluco. Estava muito nervoso. Tremia. Não tinha paciência para nada. Cada terminação nervosa demandava um gole e um cigarro”, recorda.
Sentou-se no chão, começou a chorar e de repente começou a rezar. “Por favor, Deus, me ajude”, disse.

Nesse momento, percebeu que não rezava desde menino. “Não podia acreditar o que dizia. Não soube por que o tinha dito. Nunca antes o fiz”, lembra.
Imediatamente, Eszterhas se sentiu sobressaltado por um sentimento de paz e se acabaram seus tremores. Nesse momento, tal como aconteceu com Saulo a caminho de Damasco, viu “uma luz brilhante, deslumbrante, quase me deixava cego e me fez cobrir meus olhos com as mãos”.
Para Eszterhas, esta experiência foi determinante. Deixou de duvidar sobre poder viver sem tabaco nem álcool, ou seja que podia vencer-se a si mesmo e triunfar.
Nesse momento começou seu caminho de volta à Igreja mas o escândalo sexual que afetou duramente aos católicos nos Estados Unidos se converteu em um escolho para terminar seu retorno. Por isso optou por assistir a serviços não denominacionais, mas finalmente se convenceu de que não podia deixar de ser católico.

“A Eucaristia e a presença do corpo e sangue de Cristo está em minha mente e é uma experiência assustadora. A Comunhão é poderosa e é quase um sentimento celestial”, afirma.
Ainda agora recebe ofertas para escrever roteiros sobre temas sinistros. Entretanto, assegura que gastou muita vida explorando o lado escuro da humanidade e não quero voltar a isso nunca mais”.

“Minha vida mudou desde que Deus entrou em meu coração. Não me interessa a escuridão. Tenho quatro filhos formosos, uma esposa a quem adoro, adoro estar vivo e curto cada momento de minha vida. Minha visão se iluminou e não quero retornar a esse lugar escuro”.
No último ano, os médicos lhe deram de alta e assegura que venceu o câncer graças ao que ele considera um milagre. Este é o motivo pelo qual escreveu seu novo livro titulado “Crossbearer: A memoir of faith” (Portador de Cruz: Uma lembrança de fé), para dar graças a Deus e lhe contar ao mundo o que Ele fez em sua vida.

Fonte: ACI Digital
Local:WASHINGTON DC