Os malefícios existem?

agosto 19, 2011

Uma das dúvidas mais comuns de muitos cristãos é: existe a possibilidade de uma pessoa realizar uma obra do mal para prejudicar alguém? Lamentavelmente, a resposta é afirmativa.Trata-se da realidade dos malefícios.

 O malefício é o desejo de provocar o mal em uma pessoa, com a intervenção do demônio. Se a pessoa não é capaz de agir diretamente, procura feiticeiros ou magos.

Nunca como em outros tempos, cresceu tanto a magia, ocultismo, bruxaria, culto do diabo, cartomantes… Alguns vão a estes lugares sem má intenção, fazem isto por não conhecerem quem de fato é Deus.

 O alerta de Deus, sobre o que sucede a quem se dá a estas práticas: “Não vos dirijais aos espíritas nem aos adivinhos: não os consulteis, para que não sejais contaminados por eles. Eu sou o Senhor, vosso Deus.”( Lv 19,31). Estas palavras revelam que existe o risco de expor-se à influência maligna ou possessão para quem busca a magia, seitas satânicas, consulta aos mortos, adivinhação do futuro…

 Por outro lado, existem aqueles que buscam os magos e feiticeiros, com o propósito já definido: querem prejudicar a vida pessoal, familiar ou profissional de alguém.

Por meio do malefício desejam separar um casal, e talvez atrair uma das pessoas para si, trazer tristeza, doenças, problemas financeiros, e inclusive a própria morte.

 Os meios para alcançar este fim são os mais diferentes:

 – levar aos feiticeiros ou magos artigos pessoais ou fotografia da pessoa a quem se deseja fazer o mal.

– dar objetos, alimento, líquidos consagrados ao maligno, ou colocá-los em algum lugar sem que a pessoa saiba.

 O malefício tem espaço para agir onde encontra o pecado, medo e ignorância. Em 1 Pdr 5,8-9 lemos: “Sede sóbrios e vigiai. Vosso adversário, o demônio, anda ao redor de vós como o leão que ruge, buscando a quem devorar.Resisti-lhe fortes na fé…” O demônio somente agirá se encontrar a brecha para entrar.

 A vigilância começa com o que vemos, ouvimos,falamos. O pecado vem da desobediência a Deus, e o medo da falta de conhecimento e experiência do amor de Deus.

 Também é importante não abrir espaço para nenhum tipo de superstição. É necessário acreditar que Deus é capaz de cuidar de nós.

 Por isso, a oração e a Palavra de Deus tem que ser o alimento diário. A confissão o escudo para não permitir que o demônio tenha como nos acusar.Ter na Eucaristia o encontro com Jesus, fonte de todas as  graças. E sem dúvida alguma contar com a intercessão da doce Virgem Maria, por meio da devoção do santo terço.

 Um conselho importante: conservar em casa e trazer junto de si objetos abençoados pela Igreja (crucifixo, medalhas, escapulário..)

 Podemos acrescentar o uso de sacramentais  como: Água, óleo e sal bentos.

 A última questão:

 O que fazer com objetos consagrados ao maligno?

 Um gesto muito simples: Aspergi-los com água benta e queimá-los fora de casa. Enquanto estiverem queimando pedir a proteção do sangue de Jesus. A seguir jogar as cinzas em água corrente, e lavar as mãos com água benta.

 Oração Contra todos os Malefícios

Senhor tende piedade de mim
Senhor tende piedade de mim

Cristo tende piedade de mim
Cristo tende piedade de mim

Senhor tende piedade de mim
Senhor tende piedade de mim

Deus de Todo Poder, Soberano dos séculos, Tu que estás em todos os lugares, e conheces tudo; Tu que fizeste tudo e que tudo transformas com a tua soberana vontade; Tu que na Babilônia salvaste os três jovens da fornalha ardente ficando entre eles e o fogo; Tu que és médico e remédio das nossas vidas; Tu que és auxílio de todos os que te buscam de todo coração, torna em vão, afasta e põe em fuga cada força diabólica, cada presença e trama satânica, assim como cada influência maligna, maldade ou desejo de mal vindo de pessoas maléficas. Faz que em troca da inveja e dos malefícios eu receba a abundância dos bens, força, sucesso e caridade;

Tu, Senhor que amas os homens, estende as tuas mãos poderosas e os teus braços altíssimos para socorrer-me e visitar-me com a tua proteção e bênção.

Manda o teu anjo de paz acampar em minha volta para defender-me de toda força ruim, veneno e maldade das pessoas invejosas.

Na certeza do teu auxílio posso com gratidão dizer:

“Não terei medo do mal porque sei que estás comigo, Tu és o meu Deus, minha força, Senhor poderoso, Senhor da paz e proteção para sempre.”

Tudo isso eu também te apresento pela intercessão da Virgem Maria, dos arcanjos São Miguel, Gabriel e Rafael e de todos os santos.
Amém.


O Diabo e a tentação

agosto 12, 2011

Apesar de algumas pessoas tentarem negar, o diabo existe! A Bíblia nos adverte 431 vezes sobre esta terrível realidade, 85 vezes fala de espíritos impuros. Sem contar as vezes em que usa os termos : inimigo de Deus, inimigo nosso.

A Bíblia não hesita em apresentar a vida como uma luta, uma guerra contra os demónios. Infelizmente, alguns cristãos, pelos motivos mais diferentes, preferem não tocar neste assunto. Quanto menos falamos, mais o demónio espalha sua destruição e mentiras.

Paulo VI afirma categoricamente: “Sabemos, portanto, que este ser mesquinho e perturbador [o diabo] existe realmente, e que ainda atua com astúcia traiçoeira;é o inimigo oculto que semeia erros e desgraças na história humana”.

João Paulo II em 24 de maio de 1987., no santuário de São Miguel Arcanjo no monte Gargano, disse: “o demónio continua vivo e ativo no mundo”

Neste sentido é importante recordar o alerta de Paulo VI: “Uma das maiores necessidades da Igreja é a defesa contra este mal chamado Satanás.”

Como nos defender?

É importante saber que o demónio age de modo ordinário, isto é comum, e de modo extraordinário, para atingir tanto cristãos praticantes, e como a sociedade em um todo. A sua tática é levar os homens a se rebelarem contra Deus.

Primeiro ataca de modo ordinário, isto é, o modo mais comum. Este ataque vem pela tentação. O demónio não tem o poder de obrigar os homens a fazer ou deixarem de fazer algo; por isso procura convencê-los para que se deixem conduzir pelo seu mal. Ele tem como objetivo levar o homem a ruína espiritual; propondo um mal sob a aparência de um bem, procurando arrastá-lo ao desejo desse mal, isto é, ao pecado.

A primeira das tentações é contra o amor: leva a pessoa a destruir os laços familiares, separa amizades, semeia a desunião na Igreja. Ele faz isso para trazer desordem na sociedade, começando pela família.

A segunda das tentações é a cobiça, isto é, o desejo desenfreado de possuir coisas. A cobiça esquece o valor da verdade, justiça e honestidade.

E a terceira tentação é a soberba, que é a pretensão de ser melhor que os outros. Este foi o pecado de Lúcifer, o chefe dos demónios, julgava-se tão perfeito, ao ponto de imaginar que não precisava de Deus. Quantas vezes o demónio tenta nos levar a diminuir os outros, dando-nos a impressão que estamos sempre certos. E assim algumas pessoas passam a ser nossa inimigas.

Qual deve ser a nossa reação?

O melhor de todos os conselhos foi dado por Jesus aos apóstolos: “Vigiai e orai para que não entreis em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca.” (Mt 26,41)

A primeira arma é a oração: pessoal, familiar e com a Igreja. Nossas casas tem que ser pequenas igrejas, unidas a Igreja de Cristo.

A Eucaristia tem que estar no centro de toda a caminhada espiritual. Aí Jesus se oferece como luz, alimento e remédio. A missa dominical é a coroa de toda a semana, e feliz de quem tem a possiblidade de participar também durante a semana. A visita ao Santíssimo Sacramento, no mínimo uma vez por semana, é uma fonte de muitas graças. Evidentemente, o estado de vigilância também é mantido por meio do sacramento da reconciliação

Entre a muitas armas de oração temos o terço de Nossa Senhora, também chamado de pequeno exorcismo, por uma oraçao simples onde repetimos aquilo que mais o demônio teme: a Palavra de Deus.

Os exorcistas aconselham o uso dos sacramentais: água, sal, óleo e vela. 

É claro que é necessário estar atentos ao que vemos, ouvimos e falamos, pois estas são portas por excelência usadas pelo demônio para nos seduzir com suas tentações. Pelos nossos sentidos, o coração é envenenado, a mente corrompida, as palavras tornam-se duras e a ação leva-nos à queda. E neste momento nos afastamos de Deus, pois Ele habita onde reina o amor derramado em nossos corações pelo Espírito Santo.


O assalto do demônio: as tentações

fevereiro 18, 2011

Um dos maiores inimigos da vida cristã vitoriosa é não compreender ou não levar a sério as palavras de Nosso Senhor em Mt 26,41: “Vigiai e orai para que não entreis em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca.” Vigiar significa jamais perder a consciência de que todos estão sujeitos a tentação. E ninguém vence a tentação sozinho, daí a importância da união com Deus pela oração.

 A igreja primitiva tinha muito claro a importância da atitude de vigilância para não cair nas armadilhas de Satanás. Eles ensinavam, por exemplo:

 – “o diabo rouba ao homem as virtudes da alma, leva-o ao vício, priva-o da liberdade, tornando-o escravo; arrebata-lhe os bens espirituais, extinguindo nele o temor de Deus, e incentivando-o a praticar as misérias da vida presente.(Orígenes)

 –  Satanás “é o grande inimigo do homem.”(Tertuliano)

 -“A esperta serpente não tem outra ânsia, outro cuidado, nem outro negócio, senão derramar o sangue das almas” (São Bento)

 O Catecismo do Concílio de Trento diz: “O demônio nos faz uma guerra sem descanso e persegue-nos com uma raiva mortal. Eis porque suplicamos a Deus para nos livrar do mal e do maligno.”

 Um dos erros da prática cristã de muitas pessoas esta em negar a existência do demônio ou a ignorância sobre esta questão.Nos dois casos fica o espaço para que Satanás semeie a sua terrível destruição.

 Os ataques de Satanás acontecem, principalmente, em três dimensões:

 – tentação

Infestação pessoal e de lugares

e mais raramente a possessão.

 Quero convidar você a reconhecer como o maligno age colocando-nos à prova por meio da tentação. A tentação é um estímulo ao mal que encontra apoio em mente e sensibilidade. Muitas tentações surgem dos apelos do mundo para que a gente pratique a mentira, desonestidade, o abuso do sexo, infidelidade matrimonial, experimente e se torne escravo das drogas, abuse do álcool…  e tantas outras seduções. Para nos levar a pecar, “Satanás se transfigura em anjo de luz…”(2Cor 11,14).Para isso, usa todos os meios capazes de atrair nossa atenção, e nos fazer cair em pecado.

 Santo Agostinho dizia: “O demônio ilude-nos com a sombra das coisas passageiras; com as ilusões nos engana e, ao enganar-nos, provoca-nos a morte.”

 A tática do demônio é encontrar o nosso ponto mais fraco.Pode ser a nossa própria vida espiritual fria ou morna, a saúde, a família, os problemas financeiros e profissionais, a afetividade…

 Se ele não encontrar nada nestas áreas, ele não desanima, porque sabe como desviar as mentes e corações do propósito de amar, servir e louvar a Deus.

 O nosso mundo com o destaque para a busca de uma condição melhor de vida,a ênfase sobre a importância da diversão,a facilidade de comunicação via internet,podem se tornar, se não vigiamos,nos novos frutos proibidos apresentadospela terrível serpente para desviar a nossa atenção de Deus. Observe como as pessoas estão sempre conectadas:Celular, Ipod, redes sociais…Exercício físico, as baladas, viagens… O pecado não esta nas atividades ou tecnologia,e sim no modo como são nos relacionamos com estas realidades.

 Na tentação o diabo sugere,quem consente e peca somos nós. Se resistimos com o escudo da fé, Satanás não tem como entrar em nossa vontade. Paulo nos diz em I Cor 10,13: “Não vos sobreveio tentação alguma que ultrapassasse as forças humanas. Deus é fiel: não permitirá que sejais tentados além das vossas forças, mas com a tentação ele vos dará os meios de suportá-la e sairdes dela.”

 

Oração para vencer as tentações

 Senhor Jesus, daí-me forças para suportar as dificuldades,

e sabedoria para me afastar do mal e das tentações.

Que todos os meus passos, atos, desejos e pensamentos,

sejam retos aos Teus olhos;

que em meu coração cresça a vontade de amar, louvar e servir a Deus.

Cria em mim um espírito de vigilância,

 para que possa reconhecer as mentiras de Satanás.

Afasta de mim este terrível inimigo e sua astúcia,

e repreende todas as suas artimanhas contra a minha vida

Guarda-me, Senhor Jesus; Guia-me. Eu Te peço e agradeço. Amém.


A Infestação maligna pessoal

fevereiro 11, 2011

O caminho do cristão é marcado pela bênção, e também é uma luta contra o diabo e seus anjos maus. “não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal (espalhadas) nos ares.” (Ef 6,12) Não podemos ignorar esta batalha espiritual, e ao mesmo tempo é importante manter viva a certeza da vitória de Jesus sobre este nosso terrível inimigo: o demônio : “Eis por que o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do demônio.” (1 Jo 3,8). Esta vitória aconteceu na cruz!

 A ação diabólica se desenvolve nos mais diferentes níveis:

–  tentação

 – infestação pessoal e local

 – e possessão

 Uma das ações extraordinários do demônio, e ao mesmo tempo, uma da mais comuns, que afeta ao homem e mulher, é infestação maligna pessoal. Esta ação diabólica é como um cerco, um assédio, pois vem de fora, prejudicando a saúde, afetando a imaginação, memória, os sentidos, causando alucinação, etc… A pessoa esta consciente, sente o mal estar, e tem o livre uso da vontade.

 Um dos exemplos de infestação maligna, mais freqüentes, são as doenças, às vezes desconhecidas e inexplicáveis, sob o ponto de vista médico. É o testemunho da libertação da mulher encurvada:“Estava Jesus ensinando na sinagoga em um sábado. Havia ali uma mulher que, havia dezoito anos, era possessa de um espírito que a detinha doente: andava curvada e não podia absolutamente erguer-se. Ao vê-la, Jesus a chamou e disse-lhe: Estás livre da tua doença. Impôs-lhe as mãos e no mesmo instante ela se endireitou, glorificando a Deus.” (Lc 13,10-13). O remédio espiritual aplicado por Jesus é:a oração de libertação: “Ao vê-la, Jesus a chamou e disse-lhe: Estás livre da tua doença. Impôs-lhe as mãos e no mesmo instante ela se endireitou, glorificando a Deus.” (Lc 13,12-13)

 A influência maligna pessoal não é de fácil discernimento, como por exemplo uma possessão, onde o demônio se manifesta de um modo claro. Por isso, é importante,  usar da autoridade de Jesus, e fazer a oração de libertação. É importante combater em duas frentes:

 – Receber a oração de alguém que tenha este ministério de libertação,

 – e também rezar individualmente nesta intenção.

 Os exorcistas também afirmam que pelo mau uso da vontade ou como efeito de algum malefício do ambiente ou pessoas,acontece a infestação maligna pessoal, levando a comportamentos estranhos, difíceis e violentos. Isso se manifestaria em certas pessoas de difícil relacionamento, algumas com distúrbios graves como a criminalidade, a rebeldia, a falta de respeito pelos semelhantes, a dependência do álcool ou drogas… O remédio também nestes casos é a oração de libertação, feita com a pessoa ou intercedendo por ela.

 Somado à terapia espiritual é necessáriodar alguns passos:

 Primeiro passo: entregar a vida a Jesus

 Segundo passo: oração pessoal

 Terceiro passo: vida sacramental (confissão e eucaristia)

 Quero agora convidar você a dar o primeiro passo convidando Jesus a entrar no seu coração:

 Senhor Jesus, Eu Te agradeço por ter morrido na cruz pelos meus pecados, aí foi derramado o Teu sangue precioso para me curar,

Eu abro as portas do meu coração e te convido a ser o meu Senhor e o meu Salvador,

 Assume agora a direção da minha vida. Amém.

 

Muitas pessoas bem intencionadas tem sido derrotadas diante da vida pela ignorância ou desprezo de certas verdades espirituais a respeito da ação do demônio. A possessão é algo raro, enquanto a infestação tanto de pessoas, como locais é muito comum. A infestação pode afetar a todos, quem não é cristão, cristãos comuns e até os mais fervorosos.

 Façamos juntos o sinal da cruz: Em nome do Pai….

 Coloque a mão na sua fronte para pedir a libertação de todos os pensamentos maus:

 Em nome de Jesus renova a minha mente

 Tira todos os pensamentos de malícia, maldade, impureza, tristeza, derrota…

 Forma em mim uma vontade decidida para reagir. Amém

 

Coloque a mão no coração para pedir a libertação de todas as emoções negativas:

 Jesus entra nas emoções negativas que tem me levado ao pessimismo, tristeza, desanimo diante da vida,

 E dá agora uma nova força para viver.

 Eu repreendo toda e qualquer influência maligna que por ventura esta causado os  males que estão me atormetando.

 Jesus liberta- me da doença que tem como causa a influência maligna. Amém.

 

No coração não duvide. Não fique somente com esta oração. Continue a terapia espiritual. Se a muito tempo não se confessava, confesse. Mantenha a disciplina da oração diária, inclua o santo terço. Não falte a santa missa dominical.

 Oração de libertação

 Eis aqui a † Cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, que garante a salvação e a vida eterna,

 a † Santa Cruz que derrota todos os espíritos malignos.

 † Retira-te de nós, habitante das trevas, oposto aos desígnios do Deus Altíssimo.

 † Afasta-te, não importa o mal que tenhas trazido aqui: bruxaria, feitiçaria, malefícios,

 magia negra, maldições familiares, mal oculto, amarrações.

 Sob o comando de São Miguel Arcanjo, que te precipitou nos infernos,

 assim te ordenamos, espírito maligno, inimigo do gênero humano, que não voltes mais a fazer mal a nós aqui presentes. Amém.

 

 

 

 

 

 

 


Existe possessão do demônio nas casas?

fevereiro 4, 2011

 

 Os demónios conheciam bem Jesus e não suportavam a Sua presença, porque Ele tinha vindo para arruinar e destruir o seu reino. Jesus tinha o poder de os expulsar e exerceu-o muitas vezes: “Pela tarde, apresentaram-lhe muitos possessos de demônios. Com uma palavra expulsou ele os espíritos e curou todos os enfermos.”( Mt 8,16). Os espí­ritos do mal nada podiam contra Ele.

 Aquilo que Jesus fez tantas vezes não podia parar ali, deveria continuar depois da Sua ressurreição. Por isso, Jesus conferiu aos seus discípulos o poder de expulsar os demó­nios: “Então chamou os Doze e começou a enviá-los, dois a dois; e deu-lhes poder sobre os espíritos imundos.”( Mc 6,6).

 E os discípulos agiram com esta autoridade, como lemos em Mc 6,13: “Expeliam numerosos demônios, ungiam com óleo a muitos enfermos e os curavam.”A ordem de Jesus para expulsar os demôniosnão foi somente para os discípulos, mas para a Igreja em todos os tempos. Hoje, com a autoridade que Jesus nos deu e em seu nome, podemos fazer aquilo que Jesus fez.

 Atualmente, assistimos ao fenómeno da possessão diabólica não só nas pessoas, mas também nas casas e nos objectos. Chama-se a isso de infestação. Dizem os exorcistas que nos lugares onde existe a prática da magia, feitiçaria, satanismo, com a finalidade de provocar o mal para os outros, mais facilmente existe a infestação de casas. Os “sintomas” mais comuns da infestação das casa é o movimento estranho de coisas, barulhos sem explicação, odores. Também é possível causar mal estar toda vez se se entra no local, como causar desarmonia e outros problemas semelhantes entre os seus moradores.A infestação não causa possessão nas pessoas.

 O Brasil é citado como um dos países mais dominados pela influência de crenças supersticiosas e voltadas para fazer o mal para as pessoas. Uma multidão de pessoas de todas as classes sociais procura astrólogos, tarólogos, magos… para saber do futuro, como realizar seus negócios e, infelizmente, também como destruir os inimigos ou concorrentes. Daí a importância de criar como que uma barreira para que o mal não afete os moradares ou quem frequenta aquele lugar.

 É muito comum parentes, pessoas próximas, pessoas próximas sentirem, ciúmes da felicidade de uma família, ou inveja da prosperidade, e assim tentarem fazerem algum tipo de mal para destruir a harmonia familiar ou o sucesso do trabalho ou negócio.

 O primeiro passo é  Certificar-se de estar unido a Jesus. O demônio nao pode afetar a pessoa ou ambiente vivendo no Senhorio de Jesus.

 Segundo passo não dê espaço em seu coração, casa, família para o pecado. Se reconhecer alguma mentira, desonestidade, ciúme…faça uma confissão e repare o mal.

 Terceiro passo: faça uma asperção da casa com a água benta, rezando Salmo 90 e o pequeno exorcismo de Sao Miguel, ou a oração de libertação de todo mal (abaixo)

 Quarto passo: rezem o terço em família e não faltem a missa dominical.

 Quinto passo: não tenha medo de queimar ou quebrar qualquer objeto ou folheto ligado a alguma falsa doutrina.

 Este pequenos e simples atos de fé tem o poder para devolver para as casas, famílias e ambientes de trabalho a paz, harmonia e prosperidade.

 

Pequeno exorcismo de São Leão XIII

 São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate, sede o nosso refúgio contra as maldades e ciladas do demônio. Ordene-lhe Deus, instantemente o pedimos, e vós, príncipe da milícia celeste, pela virtude divina, precipitai no inferno a satanás e aos outros espíritos malignos, que andam pelo mundo para perder as almas.

 

Oração de libertação de todo mal

 Eis aqui a † Cruz de nosso Senhor Jesus Cristo,

que garante a salvação e a vida eterna,

a † Santa Cruz que derrota todos os espíritos malignos.

† Retira-te de nós, habitante das trevas, oposto aos desígnios do Deus Altíssimo.

† Afasta-te, não importa porque meio tenhas vindo:

bruxaria, feitiçaria, malefícios, magia negra,

maldições familiares, mal oculto, amarrações.

Sob o comando de São Miguel Arcanjo, que te precipitou nos infernos,

assim te ordenamos, espírito maligno,

inimigo do gênero humano,

que não voltes mais a fazer mal a nós aqui presentes. Amém.

Pe. Pio enfrentando o demônio – filme sobre a vida do santo


A maravilha da oração

julho 22, 2010

 

Uma das descobertas que fazemos na oração é que, quanto mais nos aproximamos de Deus, mais perto ficamos de todos os nossos irmãos e irmãs da família humana.
 

Deus não é um Deus privado. O Deus que mora no nosso santuário íntimo é também o Deus que mora no santuário íntimo de cada ser humano.

Reconhecendo a presença de Deus no nosso próprio coração, podemos também reconhecer essa presença no coração dos outros, porque o Deus que nos escolheu a nós como lugar de habitação também nos dá a capacidade de ver o Deus que habita nos outros. 

Se virmos só demónios dentro de nós mesmos, também só veremos demónios nos outros. Mas, quando vemos Deus dentro de nós, também podemos ver Deus nos outros.

Tudo isto poderá parecer sobremaneira teórico, mas, se orarmos, experimentaremos cada vez mais que somos parte da família humana, infinitamente atraída por Deus que a todos nos criou para partilhar da sua luz divina.

Com frequência, perguntamo-nos o que é que podemos fazer pelos outros, especialmente por aqueles que mais necessidades sentem. Não é nenhum sinal de fraqueza dizermos: «Devemos rezar uns pelos outros.»
 

Rezar uns pelos outros é, antes de mais, reconhecer, na presença de Deus, que pertencemos uns aos outros como filhos do mesmo Deus. Sem este reconhecimento de solidariedade humana, o que fizermos uns pelos outros não nascerá do que realmente somos.

Somos irmãos e irmãs, e não competidores ou rivais. Somos filhos de Deus, não seguidores de diferentes deuses.

Orar, isto é, escutar a voz daquele que nos trata como «muito amados», é aprender que essa voz não exclui ninguém.

Onde eu moro, Deus mora comigo e onde Deus mora comigo encontro todos os meus irmãos e irmãs.

E assim, a intimidade com Deus e a solidariedade com toda a gente são dois aspectos inseparáveis do mesmo viver, no momento presente.

Henri Nouwen, em “Aqui e Agora”

Oração ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande,
Aberto à Vossa silenciosa
E forte palavra inspiradora,
Fechado a todas as ambições mesquinhas,
Alheio a qualquer desprezível competição humana,
Compenetrado do sentido da santa Igreja!
Um coração grande,
Desejoso de tornar-se semelhante
Ao Coração do Senhor Jesus!
Um coração grande e forte
Para amar todos,
Para servir a todos,
Para sofrer por todos!
Um coração grande e forte
Para superar todas as provações,
Todo tédio, todo cansaço,
Toda desilusão, toda ofensa!
Um coração grande e forte,
Constante até o sacrifício,
Quando for necessário!
Um coração cuja felicidade
É palpitar com o Coração de Cristo
E cumprir humilde, fiel e virilmente
A vontade do Pai.
Amém
Autor: Papa Paulo VI.