Quaresma: uma batalha espiritual

março 10, 2011

A quaresma começa com um gesto próprio e exclusivo: a imposição das Cinzas. Qual é o seu significado mais profundo? Certamente não se trata somente de um gesto exterior, mas de algo bastante profundo, que toca o nosso coração. As cinzas nos fazem compreender a atualidade das palavras do profeta Joel 2, 13: “Rasgai vossos corações, e não vossas vestes! Voltai ao Senhor vosso Deus, porque Ele é bom e compassivo!” Esta advertência é importante para todas as práticas religiosas: os gestos exteriores devem corresponder sempre a sinceridade da alma e a coerência das obras. Para que serve rasgar as vestes, se o coração permanece distante do Senhor, eis aquilo que conta: voltar para Deus, com o coração sinceramente arrependido, para obter a sua misericórdia.

 Um coração renovado e um espírito novo é o que pedimos com o Salmo 50,12:“Ó meu Deus, criai em mim um coração puro, e renovai-me o espírito de firmeza.” O verdadeiro cristão, consciente de ser pecador, deseja e busca a renovação espiritual.

 Todos os dias, mas sobretudo na Quaresma, o cristão deve enfrentar uma luta, como a de Jesus Cristo no deserto da Judéia, onde durante quarenta dias foi tentado pelo diabo,e depois no Getsémani, quando rejeitou a extrema tentação aceitando totalmente a vontade do Pai. Trata-se de uma batalha espiritual, que se destina contra o pecado e contra satanás. É uma luta que envolve totalmente a pessoa e exige uma vigilância atenta e constante.

 Santo Agostinho observa que quem deseja caminhar no amor de Deus, não pode contentar-se com a libertação dos pecados graves e mortais, mas “pratica a verdade reconhecendo também os pecados menos graves…  Também os pecados menos graves, se forem descuidados, crescem e causam a morte”.

 A Quaresma recorda-nos que a existência cristã é um combate incessante, no qual devem ser utilizadas as “armas” da oração, do jejum e da penitência. Lutar contra o mal, contra qualquer forma de egoísmo e de ódio, e morrer para si mesmos para viver em Deus é o programa de vida de cada discípulo de Jesus.

Nesta quaresma siga o conselho de Jesus em Mt 6,6: “Quando orares, entra no teu quarto, fecha a porta e ora ao teu Pai em segredo; e teu Pai, que vê num lugar oculto, recompensar-te-á.”

 O modo simples para viver estas palavras é:

 – reservar um tempo diário para a oração pessoal;

 – fazer uma visita semanal ao Santíssimo Sacramento;

 – participar com todo fervor da santa missa dominical;

 – preparar-se com um exame de consciência para uma boa confissão.

 Tenha presente que a finalidade da verdadeira prática religiosaé nos ajudar a crescer no amor verdadeiro,que não exclui ninguém,não julga pela aparência ou ouvi dizer, mas sabe fazer o bem e perdoar.

 

 Oração da Quaresma de Sto. Efrén

 Senhor e Mestre de minha vida,

afasta de mim o espírito de preguiça,

de abatimento, de domínio sobre meus semelhantes,

de falar sem necessidade,

e concede a mim, teu servo, um espírito de integridade,

de humildade, de paciência e de amor.

Sim, Senhor e Rei,

concede ver meus pecados e não julgar meus irmãos”

porque és bendito pelos séculos dos séculos. Amém.

Anúncios

Libertar-se da mentira

dezembro 9, 2010

No Advento destaca-se a figura marcante de João Batista, e sua mensagem de conversão: Mt 3,2.3“ Fazei penitência porque está próximo o Reino de Deus. Uma voz clama no deserto: preparai o caminho do Senhor, endireitai suas veredas”

Este é o desafio da conversão, da coragem de mudar a rota da nossa vida, reconhecendo ser este é o único caminho para a felicidade.

 Endireitar significa romper com o espírito da mentira, por ser a porta de entrada de todos os outros pecados e males da nossa vida.

 A mentira gera a desonestidade, a infidelidade matrimonial, fraude, engano, hipocrisia, o fingimento, a calúnia… leva para o vício do álcool, drogas, o abuso do sexo, com a desculpa de estar buscando a alegria e prazer.

 A mentira, não importa qual seja,é sempre contrária a Deus, pois Nele somente existe a verdade.A posição do cristão é uma só: mudar o seu proceder. Em 1 Pdr 3,10 lemos:“quem quiser amar a vida e ver dias felizes, refreie sua língua do mal e seus lábios de palavras enganadoras;”

 Para dar este passo e perseverar, é necessário ir a Jesus. Por quê? João Batista nos diz em Mt 3,11:“Eu vos batizo com água, em sinal de penitência, mas aquele que virá depois de mim é mais poderoso do que eu e nem sou digno de carregar seus calçados. Ele vos batizará no Espírito Santo e em fogo.”

 Ser batizado é ser mergulhado no amor de Deus, e receber um efeito interior duplo:

 –  primeiro ficamos cheios do Espírito Santo que nos dá a força e coragem para viver com entusiasmo a fé.

 – e a seguir, o fogo de Deus queima o pecado da mentira, para que possamos testemunhar a verdade de Deus no mundo.

 Uma vez cheios do Espírito Santo e purificados pelo fogo celestial passamos a experimentar a presença forte e segura de Deus.

 O tempo do Advento nos convida a estarmos vigilantes para que nada nos distraia ou nos afaste novamente de Jesus. Os santos antigos recomendavam nunca encerrar o dia sem fazer um exame de consciência. Esta atitude ajuda a não deixar a porta aberta para a mentira novamente reinar no coração e mente. Também é importante a confissão regular para crescer na santidade de vida.

 E por fim, lembrar sempre da alegria do encontro de João Batista com Jesus, e da sua confissão de fé em Jo 1,29:“Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” A cada eucaristia, a cada missa temos a oportunidade deste encontro maravilhoso.

 Não escondamos nada de Jesus. Ele sabe dos nossos pecados, fraquezas, tristezas, doenças…Façamos a nossa parte dando o passo do arrependimento e acreditando no seu poder.E assim, cada missa será a experiência forte da manifestação da benção de Deus em nossa vida.

 


Preparar o Natal com Jesus

dezembro 3, 2010

O tempo do Advento nos ajuda a parar para pensar por que nós celebramos o Natal? Se nós não paramos para pensar o “porquê” destes dias tão belos, então, provavelmente cairemos na armadilha do Natal sem Jesus.

Alguma vez você já entrou em seu carro para ir a algum lugar e, em seguida, sem saber acabou indo na direção errada? Bem, isso é exatamente o que pode acontecer com a nossa festa de Natal, se não aproveitamos o tempo do Advento para preparar o nascimento de Jesus. Para viver bem o tempo do Advento é necessário deixar-se conduzir pelo Espírito Santo.

Uma das primeiras dimensões é a conversão, isto é a mudança de rota em nossa vida. Em 2Cor 5,17 lemos: “Todo aquele que está em Cristo é uma nova criatura. Passou o que era velho; eis que tudo se fez novo!” Ninguém é capaz de se tornar uma nova criatura sozinho. Quem tem Cristo, tem esta nova vida. O sacramento da reconciliação (confissão) é um instrumento importante para quem deseja crescer na vida com Deus.

Outra dimensão é renovar a vida de oração. Aí esta uma das dificuldades, inclusive de muitos cristãos, entenderem a importância da oração para manter a vitalidade da fé. Para isso, é necessário a humildade para reconhecer a necessidade de aprender a rezar. E isso se faz com a ajuda de alguma pessoa preparada para esta tarefa; por meio da leitura de bons livros sobre espiritualidade; e na medida do possível com um diretor espiritual.

Neste Advento, faça a experiência de criar todos os dias um momento de recolhimento para estar a sós com Deus. Procure chegar uns 20 minutos antes da missa começar, para se preparar espiritualmente. Descubra a beleza de fazer uma visita de 15 minutos (no mínimo) ao Santíssimo Sacramento, uma vez por semana. Mais próximo do Natal busque o perdão de Jesus na confissão.

Não se esqueça de que muitas famílias não terão nada em sua ceia natalina. Sozinho ou unido a outras pessoas da sua paróquia (esta segunda opção é melhor), comprometa-se a ajudar uma ou várias famílias com mantimentos natalinos.

Estas atitudes simples, impedirão de ir na direção errada do Natal. Natal é a ocasião para deixar a luz de Cristo brilhar no coração, e despertar uma nova alegria diante da vida. Natal nos une ao amor de Deus, e nos confia a missão de espalhar este amor a todas as pessoas.


Preparar o Natal

dezembro 9, 2009

O tempo do Advento nos ajuda a parar para pensar por que nós celebramos o Natal? Se nós não paramos para pensar o “porquê” destes dias tão belos, então, provavelmente cairemos na armadilha do Natal sem Jesus.

Alguma vez você já entrou em seu carro para ir a algum lugar e, em seguida, sem saber acabou indo na direção errada? Bem, isso é exatamente o que pode acontecer com a nossa festa de Natal, se não aproveitamos o tempo do Advento para preparar o nascimento de Jesus. Para viver bem o tempo do Advento é necessário deixar-se conduzir pelo Espírito Santo.

Uma das primeiras dimensões é a conversão, isto é a mudança de rota em nossa vida. Em 2Cor 5,17 lemos: “Todo aquele que está em Cristo é uma nova criatura. Passou o que era velho; eis que tudo se fez novo!” Ninguém é capaz de se tornar uma nova criatura sozinho. Quem tem Cristo, tem esta nova vida. O sacramento da reconciliação (confissão) é um instrumento importante para quem deseja crescer na vida com Deus.

Outra dimensão é renovar a vida de oração. Aí esta uma das dificuldades, inclusive de muitos cristãos, entenderem a importância da oração para manter a vitalidade da fé. Para isso, é necessário a humildade para reconhecer a necessidade de aprender a rezar. E isso se faz com a ajuda de alguma pessoa preparada para esta tarefa; por meio da leitura de bons livros sobre espiritualidade; e na medida do possível com um diretor espiritual.

Neste Advento, faça a experiência de criar todos os dias um momento de recolhimento para estar a sós com Deus. Procure chegar uns 20 minutos antes da missa começar, para se preparar espiritualmente. Descubra a beleza de fazer uma visita de 15 minutos (no mínimo) ao Santíssimo Sacramento, uma vez por semana. Mais próximo do Natal busque o perdão de Jesus na confissão.

Não se esqueça de que muitas famílias não terão nada em sua ceia natalina. Sozinho ou unido a outras pessoas da sua paróquia (esta segunda opção é melhor), comprometa-se a ajudar uma ou várias famílias com mantimentos natalinos.

Estas atitudes simples, impedirão de ir na direção errada do Natal. Natal é a ocasião para deixar a luz de Cristo brilhar no coração, e despertar uma nova alegria diante da vida. Natal nos une ao amor de Deus, e nos confia a missão de espalhar este amor a todas as pessoas.