Vença as crises

julho 9, 2011

 Uma das maiores frustrações de um padre é ver ovelhas de seu rebanho viverem o seu compromisso com Cristo com entusiasmo e dedicação, e de repente, diante dos problemas da vida, desabarem como um prédio que não tem bom alicerce. Fica a impressão que a vida de oração, a participação nos sacramentos, de um modo especial a Eucaristia e Reconciliação, o engajamentos pastoral não são capazes de dar a força para reagir diante das dificuldades da vida. Quantos cristãos de linha de frente no meio da batalha ficam machucados emocionalmente, e permanecem por muito tempo ou para sempre nesta triste situação.

 Surge uma questão importante: Qual é a causa desta situação tão dolorosa que afeta a caminhada cristã de tantas pessoas?  Uma das principais é a ilusão de que cristão não passa por crises. Quantas vezes ouvi pessoas afirmando para os outros ou para si próprias: “ O verdadeiro cristão não fica deprimido, isso é falta de confiança em Deus.”. Diante desta afirmação surge o sentimento de culpa que bloqueia toda reação positiva. Também é comum o questionamento “ Como isso foi acontecer comigo?”. Aqueles mais pessimistas concluem: “ Deus esta me castigando por alguma coisa errada.”

A conseqüência da dificuldade em lidar com os problemas é tentar viver a ilusão que nada esta acontecendo, reprimindo os sentimentos e usar uma série de “técnicas pseudo-cristãs” sem resultado algum. Significa fingir que tudo esta bem, como se fosse algo vergonhoso reconhecer a própria fraqueza ou erro. Por meio desta atitude ignora-se uma verdade espiritual importante, ensinada pelo apóstolo Paulo em 1Cor 12,9b: “ prefiro gloriar-me das minhas fraquezas, para que habite em mim a força de Cristo.”

 Não se trata de cair na atitude simplista de dizer “ errei porque sou humano”, “ eu não mereço esta situação, vou desistir de tudo” ou culpar alguém. É preciso  ter presente que somos seres em constante mudança. Não importa se estas mudanças surjam de questionamentos interiores, relacionamento marido e mulher, pais e filhos, parentes, namoro, ambiente profissional, igreja, com as pessoas em geral, ou ainda de algum vício, doença ou da própria morte. Em qualquer um dos casos é necessário aprender a lidar com o conflito, tendo sempre presente a misericórdia de Deus.

 É muito fácil buscar “soluções mágicas” e “instantâneas” bem a moda da nossa sociedade de consumo. A nossa vida emocional-afetiva não é como algo errado escrito no computador que basta teclar delete para apagar. Também é diferente de uma lata descartável de refrigerante, que depois de usada é amassada, e jogada fora. A mente, o coração, os sentimentos e o corpo nos pregam surpresas quando somos expostos às crises da vida. Nem sempre , em um primeiro momento, reagimos conforme nossas crenças. “Encontro, pois, em mim esta lei: quando quero fazer o bem o que se me depara é o mal.”(Rm 7,21).

Quantas vezes perdemos as rédeas dos problemas, e como conseqüência criamos bloqueios emocionais que impedem uma solução adequada. Aí entram em cena a ansiedade, depressão, sentimento de culpa, complexo de rejeição, raiva, amargura… dificultando mais ainda a possibilidade de enfrentar a situação.

Existe saída? Sim. Basta a disposição para aprender a lidar com as crises de acordo com os ensinamentos de Jesus. “ No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo.”(Jo 16,33b). A palavra chave é : Coragem. Não desistir de si mesmo, das pessoas ou da própria vida. O importante é não ter medo de lidar com os problemas e nem de errar na busca da solução. Uma coisa é certa: Deus jamais nos abandona, Ele nos entende e somente Ele tem o que realmente necessitamos.

 

 

 Oração diante das crises

 

Senhor, ensina-me a entregar-Vos com toda confiança,

 

tudo o que sou, sinto e tenho.

 

 Neste momento desejo Vos devolver a direção de tudo

 

o que se encontra em meus cuidados,

 

e Vos agradecer por ser um de vossos administradores,

 

pois Sois dono de todo o Universo,

 

de minha vida, de tudo o que tenho.

 

Ajudai-me a nunca sair de Vossos propósitos,

 

colocar sempre meus problemas em Vossas mãos

 

e assim descansar meu coração.

 

Que nos momentos em que me vier a ansiedade

 

tão própria de minha fraqueza humana,

 

fortalecei-me, Senhor,

 

dando-me a graça de lembrar-me

 

sempre destas Vossas santas Palavras:

 

“Confiai vossas preocupações,

 

porque Ele tem cuidado de Vós”.

Obrigada(o), Senhor.

Clip_Adriana_-_Abraço_de_Pai 

 

 

 

Anúncios

Confie em Deus

fevereiro 26, 2011

“não vos preocupeis por vossa vida, pelo que comereis, nem por vosso corpo, pelo que vestireis. A vida não é mais do que o alimento e o corpo não é mais que as vestes? Olhai as aves do céu: não semeiam nem ceifam, nem recolhem nos celeiros e vosso Pai celeste as alimenta. Não valeis vós muito mais que elas?”  (Mt 6,25-26)

Estas palavras parecem simples de mais e fora da realidade. A primeira vista, tem-se a impressão de que Jesus não valoriza a importância do estudo, trabalho…enfim, os esforços por uma condição de vida melhor. E na verdade, Ele usou um exemplo da natureza – as aves e flores –para mostrar como Deus cuida com amor da Sua criação. Deus provê água, luz e calor para sustentar tudo o que vive e respira.

Se Ele procede assim com as aves e flores, muito mais podemos espera nós, que somos criados a sua imagem e semelhança. Ele tem a provisão para as nossas necessidades materiais e físicas, e também para nossa mente, coração e alma.

Nós existimos para Deus. A nossa vida esta em seu coração. Se entendêssemos a grandeza e profundidade do seu amor por nós, não viveríamos longe Dele, e nem diminuiríamos o nosso fervor.

O que fazer?

Não se trata de algo fácil. O mundo, com todas as suas preocupações, tenta roubar a nossa fé e confiança na ajuda de Deus. No lugar coloca a sensação de medo

em relação ao futuro. E o resultado é nos tornar escravos das coisas e distantes de Deus.

Qual é a saída?

Primeiro passo: Mt 6,33

“Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo.”

Significa priorizar Deus em nossa vida, de modo que nossos pensamentos estejam voltados para Sua vontade, e nossa vida reflita a confiança nos seus cuidados amorosos. A questão é: O que é realmente importante para nós: pessoas, metas, bens materiais, diversão, esporte…? Se não formos firmes em dar a Deus o primeiro lugar, qualquer outro interesse ocupa rapidamente o Seu lugar.

Segundo Passo: Mt 6,34

“Não vos preocupeis, pois, com o dia de amanhã: o dia de amanhã terá as suas preocupações próprias. A cada dia basta o seu cuidado. ”

Planejar o futuro é importante e necessário. A dedicação ao estudo é fundamental. O empenho no trabalho é necessário. Lutar por uma condição de vida melhor não tem nada de errado. Nem Sempre é fácil estabelecer a diferença entre planejar e inquietar-se. Planejar significa traçar uma meta confiando na direção e cuidados de Deus. Inquietar-se é permitir que a ansiedade de conseguir coisas ou agradar pessoas, interfira em nosso relacionamento com Deus. A nossa parte é colocar o melhor de nós em tudo, a cada dia. Deus se encarregará dos resultados. Ele sabe o que estamos necessitando. Ele jamais nos desamparará.

Diante da vida somente existem dois caminhos:

– Confiar no poder e amor de Deus,

– Ou entregar-se as preocupações e ser infeliz.

Rezemos:

“Senhor Jesus, livra-me de preocupações desnecessárias

e ajuda-me a confiar no poder e amor do Pai.”

Amém

Você quer conhecer melhor  o Sermão da montanha, então leia o meu livro O manual da felicidade o sermão da montanha. Você pode adquiri-lo nas melhores livrarias católicas ou imediatamente http://migre.me/3X73e


Qual é a pior doença?

julho 29, 2010

 

«Observei muitas vezes que as pessoas mais críticas são aquelas que têm em si um grande vazio espiritual. Chego a perguntar-me se determinadas pessoas não sentem necessidade de fabricar inimigos para poderem exisitir, precisamente por ser enorme o seu vazio interior…

Se o mal penetra o nosso coração, é porque aí encontra um lugar onde se instalar, uma certa cumplicidade.

Se o sofrimento nos faz azedos e maus, é por termos o coração vazio: vazio de fé, de esperança e de amor.

Pelo contrário, se nele houver uma total confiança em Deus, se esperar tudo da Sua bondade e fidelidade, se a finalidade da nossa vida não for a procura de nós mesmos, mas fazer a vontade de Deus, amá-l`O de todo o coração e amar o próximo como a nós mesmos, então o mal não pode penetrar nele de maneira nenhuma.

Se nos enraizarmos em Deus pela fé e pela oração, se deixarmos de censurar aqueles que nos rodeiam por tudo o que não corre bem na nossa vida e de nos considerar vítimas dos outros ou das circunstâncias, se assumirmos decididamente as nossas próprias responsabilidades e aceitarmos a nossa vida como é, se lançarmos mão, constantemente, das nossas capacidades de crer, esperar e amar, se estivermos resolvidos a conquistar a liberdade de que temos falado (liberdade interior), ela ser-nos-á progressivamente concedida.»

Jacques Philippe, em “A Liberdade Interior”

Ó Espírito Santo!

Ö Espírito Santo.
Amor do Pai e do Filho,
Inspirai-me sempre
Aquilo que devo pensar,
Aquilo que devo dizer,
Como devo dizer,
Como devo dizê-lo,
Aquilo que devo calar,
Aquilo que devo escrever,
Como devo agir,
Aquilo que devo fazer,
para procurar a Vossa glória,
o bem das almas
e minha própria santificação.
Ó Jesus, toda a minha confiança está em Vós.
Ó Maria, Templo do Espírito Santo, ensinai-nos a sermos fiéis àquele que habita em nosso coração.
Amém.

Cardeal Verdier


Vivendo como filho do Rei

janeiro 8, 2010

Todos os dias encontro pessoas vivendo em um padrão muito abaixo do seu potencial. São pessoas boas, cheias de riqueza interior, trazendo no coração o desejo de serem felizes. Entretanto, a realidade é outra. Vivem em constantes questionamentos, com altos e baixos, como se o melhor da vida sempre estivesse escapando pelos dedos das mãos.

Este não é o propósito de Deus para a vida dos seus filhos muito amados. E você é uma destas pessoas especiais. E sabe por quê? Deus criou você diferente de todas as outras obras da sua criação. Em Gn 1,26.28 lemos: “”Façamos o homem à nossa imagem e semelhança. Que ele reine…Deus os abençoou…” Deus deu a você a capacidade para fazer da vida o lugar da felicidade.

Este tesouro esta dentro de você. Não permita que fatos do passado ou presente tirem a sua garra para reagir diante da vida. As pessoas perdem muito tempo remoendo coisas que não é mais possível corrigir, ou também desistem facilmente de continuar lutando.

Dê um basta nesta situação, dizendo a você mesmo: a partir de hoje, vou viver como um filho de rei, e não como um derrotado. Não existe exagero em pensar assim! Afinal, você é filho de Deus. Ele é o rei do universo!

O caminho para a mudança de atitude é ensinado por Jesus em Mc 11,23: “Em verdade vos declaro: todo o que disser a este monte: Levanta-te e lança-te ao mar, se não duvidar no seu coração, mas acreditar que sucederá tudo o que disser, obterá esse milagre.”. Nosso Senhor falou uma palavra chave: se não duvidar no seu coração. Por isso, é importante o cuidado com os pensamentos e palavras. Por quê? Se acreditamos de um modo, e reagimos de outro, nunca seremos filhos de rei.

Por uma série de motivos, os nossos pensamentos estão contaminados pelas palavras não posso, não consigo, não sou capaz. As atitudes e palavras acabam acompanhando o que pensamos. E assim, do nosso pessimismo nasce a derrota, a frustração de nunca alcançar os sonhos da vida.

Não estou dizendo que esta é uma fórmula para não ter mais problemas, e ver sempre tudo funcionando as mil maravilhas. Mas, mesmo tendo que enfrentar situações difíceis, se você mudar de atitude mental, será outra pessoa.

Examine quais são os seus pensamentos, atitudes, palavras e reações diante da vida. Tudo o que for negativo, pessimista, ou leva você a desanimar, apresente a Deus. Diga: Ensina-me a olhar para mim, como sou visto por Ti.

Ato de confiança em Deus

Meu Senhor e meu Deus, estou inteiramente persuadido que vós cuidais daqueles que em vós esperam, e que nada pode faltar a quem de vós tudo espera; pelo que estou resolvido a viver de agora em diante sem a menor perturbação e de lançar-me totalmente aos vossos cuidados.

Mesmo vindo contra mim pessoas, doenças ou qualquer outro tipo de dificuldade, não poderão tirar-me as forças e os meios de continuar vivendo como vosso filho(a) amado(a). Nunca perderei a confiança na vossa misericórdia; antes conserva-la-ei até ao último suspiro de minha vida; em vão se esforçarão os demônios do inferno para arrancá-la, nada poderá jamais abalar a minha firmeza.

Em paz, em vós mesmo, dormirei e repousarei. Estou seguro de que serei eternamente feliz, porque de vós, ó meu Deus, é que espero firmemente a minha felicidade. Ninguém confiou em vós e ficou confundido. Finalmente estou certo, ó meu Deus, de que jamais será demasiada a confiança que eu em vós puser, e que de vós não hei de receber menos daquilo que de vós houver esperado.

Espero, e estou seguro, que vós me amareis sempre; e espero também que vos hei de amar sem voltar atrás nesta decisão, quero vos amar sem reserva, sem limites.

Assim seja.