Diário de uma peregrinação – parte 8 – Sta. Bernardete e um milagre eucarístico

 

Nevers

Nevers é onde se encontra a urna com o corpo incorrupto da vidente de Lourdes, Santa Bernardete. A nossa parada é no Convento de São Gildard, das irmãs da caridade de Nevers. De 1866 a 16 de abril de 1879, aí Bernardete viveu como religiosa.

Alguns poderiam perguntar: por que visitar de um modo especial este lugar? A resposta a temos ao entrar na capela onde esta o corpo de Bernardete. Todos exclamam: “Não esta morta, apenas dorme.” Como em vida, ela continua transmitindo a paz de quem encontrou a verdadeira felicidade em Deus.

Celebramos a missa ao ar livre junto a um altar que reproduz a gruta da aparição de Lourdes. A hora não poderia ser melhor: meio-dia! Os ponteiros apontam para o alto, e nos convidam, junto com a Virgem Maria, a saudar Deus. Terminada a missa passamos um tempo junto ao corpo de Bernardete.

Atrás do convento esta a imagem de Nossa Senhora das Águas. Quando Santa Bernardete a viu exclamou: “Esta é a Senhora que apareceu em Lourdes.” Este foi um dos seus lugares preferidos para se refugiar na oração.

Avignon

O centro histórico de Avignon é considerado patrimônio da humanidade. A cidade velha, com suas ruas estreitas e prédios centenários, esta cercada por antigas muralhas. No seu interior esta o palácio dos papas e a igreja dos penitentes cinzas, onde aconteceu um milagre eucarístico.

No dia 30 de novembro de 1433 o rio Ródano, que atravessa a cidade, transbordou. Neste dia o Santíssimo Sacramento estava exposto na capela da Confraria dos penitentes cinzas. Dois confrades vão de barco para guardar o Santíssimo. Quando entraram viram as águas divididas em duas, formando uma espécie de corredor ao redor do altar. A partir desta data, até os nossos dias, para celebrar o milagre, antes da bênção do Santíssimo, cantam o cântico de Moisés, entoado depois da passagem do mar vermelho:

“Eu cantarei ao Senhor, porque se vestiu de glória…Ao sopro das tuas narinas as águas se amontoam, as ondas se levantam qual represa… Quem é igual a ti,ilustre em santidade?” (Ex 15,1.8.11.13).

Este milagre eucarístico aconteceu em uma região em que se duvidava da presença real de Jesus no Santíssimo Sacramento.

Na entrada da capela esta a marca da altura das águas por ocasião da enchente: acima da metade da porta principal. Neste exato ponto rezamos agradecendo o dom da eucaristia, e cantamos um hino eucarístico.

O Palácio dos papas

Durante 70 anos (1309-1379), Avignon foi a residência oficial de sete papas franceses. Este foi um tempo triste para a Igreja, pois o sucessor de Pedro abandonada  Roma.  Em uma praça ampla esta o palácio papal e uma grande igreja, em uma área de dezesseis mil metros quadrados.

Uma mulher foi a responsável pelo fim desta situação terrível: Santa Catarina de Sena. Ela se desloca para Avignon e convence o papa Gregório XI a voltar para a cidade eterna. Depois de alguma hesitação, toma a decisão de retornar a Roma (setembro de 1376).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: