Jesus ressuscitou! Você acredita?

abril 27, 2011

Este é o grande dia de nossa fé: o Domingo de Páscoa. Celebramos a vitória de Jesus sobre a morte, isto é, a sua ressurreição! Se Jesus não houvesse ressuscitado, teria sido somente mais um homem bom,um personagem da história, um fundador de uma grande religião. A ressurreição nos revela algo maior: Ele é Deus!

 Não podemos ficar indiferentes diante desta revelação. Jesus venceu a morte, o túmulo esta vazio. Ele não esta mais limitado a um corpo físico. Ele pode atravessar as paredes, e quem nele crê o tem vivo no coração.

 A Páscoa é a oportunidade para sair da noite dos nossos medos de crer em Deus, e também das nossas demoras para viver com entusiasmo a fé.

 No evangelho do domingo de Páscoa (cf. Jo 20,1-9) somos apresentados a duas mulheres: Maria Madalena e Maria. Elas presenciaram a condenação de Jesus. O chicote dos soldados rasgando seu corpo, a coroa de espinhos na cabeça, e com certeza choraram diante da sua dolorosa morte na cruz.

 Elas poderiam dizer: esta tudo acabado. E quem sabe voltar a rotina da vida, guardando a lembrança da ternura da ajuda de Jesus.

 Porém, alguma coisa no coração destas mulheres dizia para irem até o túmulo. Elas souberam deixar Deus conduzi-las, mesmo se ainda não entendiam porque ir até o túmulo.

 Quando seguimos a Jesus não estamos sozinhos, Deus nos acompanha com a sua graça.

O importante é não desistir, como fizeram estas mulheres. Quantas vezes os problemas da vida levaram você a desistir de lutar. E o resultado foi o sabor amargo do fracasso.

A atitude destas mulheres do evangelho são como um tapa em nossa frieza espiritual e no nosso esquecimento que Jesus esta vivo.

 Somente quem experimentou o amor de Jesus transformando a sua vida, é capaz de correr sempre ao seu encontro. Deus sempre surpreende quem nele confia.

Em Jo 20,1 esta escrito: “Viu a pedra removida do sepulcro” Alguns afirmam que a pedra foi removida para que Jesus saísse. Será que Deus precisava de ajuda para fazer Jesus sair? Seria o vencedor da morte tão fraco ao ponto de não ser capaz de empurrar a pedra do túmulo? Não acredito nesta possibilidade. Nenhum túmulo poderia deter Jesus ressuscitado. A pedra foi removida para que as mulheres pudessem olhar dentro.

 Aí esta a manifestação do poder de Deus: Ele remove os obstáculos que nos impedem ver e experimentar suas maravilhas.

 Não podemos ficar parados. É necessário seguir o exemplo das mulheres do evangelho: Elas correram….Primeiro para ir ao túmulo, e depois para falar do que viram.

 Precisamos aprender a buscar mais intensamente a Jesus, e testemunhá-lo. Muitas vezes, somos lentos, demorados, vemos dificuldade em tudo. Ou nos cansamos facilmente, e aí vamos abandonando nosso fervor.

 Se os problemas escureceram a nossa vida, deixemos a luz de Cristo iluminá-la.

 Ressuscitar é voltar à vida, levantar-se, erguer-se… pelo poder de Jesus.

 A cada domingo Deus nos atrai para receber o alimento dos ressuscitados:  Eucaristia.

 


Semana Santa: a nossa semana!

abril 16, 2011

          A semana santa começa no Domingo de Ramos. Uma semana cheia de alegrias, e também de dor para Jesus. Tudo começa com a entrada triunfal em Jerusalém. As pessoas acolhem Jesus espalhando as roupas pelo chão, fazendo como que um grande tapete real. Outras, cortam ramos para aclamá-lo com as boas vindas. São Lucas descreve esta cena de um modo emocionante: “Quando já se ia aproximando da descida do monte das Oliveiras, toda a multidão dos discípulos, tomada de alegria, começou a louvar a Deus em altas vozes, por todas as maravilhas que tinha visto. E dizia: Bendito o rei que vem em nome do Senhor! Paz no céu e glória no mais alto dos céus!(Lc 19,37-38).

          Na 5º feira santa, véspera da morte na cruz, durante os preparativos da última ceia, Jesus revela dois sentimentos fortes em relação a nós. O primeiro esta em Lc 22,15: “Tenho desejado ardentemente comer convosco esta Páscoa, antes de sofrer.”. Aí fica evidente o desejo do nosso maior amigo: encontrar-se continuamente conosco. E por quê este desejo? Em Jo 13,1 temos a resposta: “como amasse os seus que estavam no mundo, até o extremo os amou.”. Nesta noite feliz realiza o maior dos seus milagres: a Eucaristia: “Pegando o cálice, deu graças e disse: Tomai este cálice e distribuí-o entre vós. Pois vos digo: já não tornarei a beber do fruto da videira, até que venha o Reino de Deus. Tomou em seguida o pão e depois de ter dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. Do mesmo modo tomou também o cálice, depois de cear, dizendo: “Este cálice é a Nova Aliança em meu sangue, que é derramado por vós…” (Lc 22,17-20). Será possível o pão e o sangue se transformarem no Corpo e Sangue de Jesus? Se com a Sua Palavra curava, libertava das forças malignas e perdoava os pecados, também tem o poder para tornar realidade esta maravilha: Isto é o meu corpo… Este cálice é a Nova Aliança em meu sangue. É um privilégio participar desta noite, onde somos  mergulhados na grandeza do amor de Jesus por nós. Este amor é tão forte que se dá em alimento para a nossa salvação, cura, libertação e perdão.

          Na 6º feira santa aparece a contradição do coração humano. A multidão se volta contra Jesus e grita “crucifica-o…crucifica-o”. Em muitos lugares é dia de silêncio, oração… as pessoas se recolhem para meditar sobre o significado da cruz. Deus permite que carreguemos a cruz de certos problemas somente até o Calvário, quando aí chegamos, Jesus assume o nosso lugar. A celebração das 15 hs – hora da morte de Jesus – é o ponto alto deste dia de amor. Também é bonita a fé do povo de percorrer as ruas com a Via Sacra.

          Chega o sábado com a Vigília Pascal. Esta é uma das celebrações mais antigas da Igreja. É a espera da ressurreição. Muitos são os símbolos usados para nos ajudar a viver o significado profundo desta noite santa. O sacerdote acende o fogo novo, sinal da força do Espírito de Deus para avivar a chama da nossa fé. A Igreja escura, recorda como é o mundo sem Deus. Acender as velas aponta para Jesus, luz do mundo, e renova no coração de todos a alegria e esperança. A benção da água e a renovação das promessas batismais, demonstra o nosso valor aos olhos de Deus: somos Seus filhos amados, ninguém esta excluído deste amor!

          Finalmente, chegamos ao grande dia: Domingo de Páscoa. Depois de tantos acontecimentos dramáticos, a conclusão é incrível! Jesus ressuscita dos mortos. Ele esta vivo! Ele fez tudo isso por causa de você.

          A semana santa é o convite de Deus para a aventura de uma vida rica de bênçãos e vitórias. Tudo aconteceu rapidamente, como é a própria vida. Não podemos perder tempo olhando para trás, remoendo erros ou oportunidades perdidas. Existe esperança. Você pode transformar a morte em vida! Basta aprender as lições da semana santa.

          Esta é hora de Deus para a sua vida! Levante os ramos acolhendo Jesus no coração. Entre na sala do cenáculo contínuo da santa missa. Una-se à doce Virgem Maria e ao discípulo amado aos pés da cruz. Acenda a luz da nova vida, renovando a graça da sua amizade com Jesus. E por fim no Domingo de Páscoa, eleve o seu canto de Aleluia!

Feliz Páscoa! Feliz Páscoa! Feliz Páscoa! Feliz Páscoa!

 

 


FÉ E CURA

abril 8, 2011

 Quando lemos os relatos das curas realizadas por Jesus vemos que existe um padrão comum: a fé. As curas não aconteciam em virtude da fé de Jesus, e sim pela fé de quem pedia.

 Quando existia esta confiança no poder de Jesus, a cura era liberada. Em Mt 9,28-30 temos um deste testemunhos:“Jesus entrou numa casa e os cegos aproximaram-se dele. Disse-lhes: Credes que eu posso fazer isso? Sim, Senhor, responderam eles.Então ele tocou-lhes nos olhos, dizendo: Seja-vos feito segundo vossa fé. No mesmo instante, os seus olhos se abriram.” Estes cegos estavam convictos do poder de Jesus para curá-los, e, por isso, não permitiram que nada os impedisse de encontrá-lo. Aí esta apresentada a fé em ação.

 Quando somos movidos pela fé, nada nos impede de chegar a Jesus, porque no coração temos a certeza de que somente Ele tem a solução,para todas as nossas necessidades.

 Este mesmo padrão o encontramos na cura de um paralítico, relizada por Sao Paulo em Atos 14,8-10: “Em Listra vivia um homem aleijado das pernas, coxo de nascença, que nunca tinha andado. 9. Sentado, ele ouvia Paulo pregar. Este, fixando nele os olhos e vendo que tinha fé para ser curado, 10. disse em alta voz: Levanta-te direito sobre os teus pés! Ele deu um salto e pôs-se a andar.” A cura aconteceu porque o paralítico tinha fé para ser curado!

 É urgente crescer na fé para ser curado.

 Como crescer na fé?

 1º Ponto:  A fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus: “a fé provém da pregação…” (Rm 10,17)

  Ponto – Acreditar no poder de Jesus para curar:  “Disse-lhe Pedro: Enéias, Jesus Cristo te cura: levanta-te e faze tua cama. E levantou-se imediatamente.” (Atos 9,34). Pedro não fez uma oração longa, e nem usou muitas palavras.  Ele somente disse: Enéias, Jesus Cristo te cura!

 3º Ponto – A cura já nos foi dada na cruz de Jesus para todas as enfermidades. “Pela tarde, apresentaram-lhe muitos possessos de demônios. Com uma palavra expulsou ele os espíritos e curou todos os enfermos. Assim se cumpriu a predição do profeta Isaías: Tomou as nossas enfermidades e sobrecarregou-se dos nossos males (Is 53,4).” (Mt 8,16-17). Para Jesus não importa se a doenç é o pecado, tentação, depressão, enfermidade física, problema familiar ou profissional, existe o remédio para cada doença.

 A parte de Jesus foi realizada na cruz, a nossa é crer no seu poder. Quando o poder de Jesus se encontra com a nossa fé, acontece o milagre.

 

 

 

Bispo certifica novo milagre da Virgem da Lourdes

 O Bispo de Angers (França), Dom Emmanuel Delmas, proclamou o milagre número 68 oficialmente reconhecido da cura de um homem que tinha perdido virtualmente a mobilidade na perna esquerda, ocorrido no dia 13 de abril de 2002, quando peregrinou ao Santuário da Virgem da Lourdes.

O Comitê Médico de Lourdes, composto por 20 doutores, constatou a “súbita cura funcional, sem relação com terapia alguma e mantida até a atualidade, 8 anos depois” que Serge François, um homem de 56 anos que logo depois de sua cura fez o caminho de Santiago da Compostela a pé, percorrendo 1 570 quilômetros, para agradecer por esta graça.

Sobre o milagre, Dom Delmas recorda que este foi produzido quando Serge “logo depois de ter rezado perante a Gruta se dirigiu às fontes para beber e lavar o rosto. Pode-se ver nesta cura uma atuação particular da Virgem Maria para com este homem”.

Para o Bispo, “esta cura pode ser considerada como um dom pessoal de Deus para este homem, como um ato de graça, como um sinal de Cristo Salvador”.

Serge François, tinha perdido virtualmente a mobilidade na perna esquerda por uma hérnia de disco aparecida por complicações cirúrgicas relacionadas a duas operações. Depois da cura, assinala o jornal La Razón, cresceu sua vida de fé e de oração, e hoje reza muito por outros doentes. Voltou para a Lourdes em 2003, informou sobre o seu caso ao Comitê Médico e assim teve início o processo de estudo do caso.

Sobre o caso, o Bispo de Tarbes e Lourdes (França), Dom Jacques Perrier, afirmou em uma nota publicada no site do Santuário na internet, que “os médicos de hoje em dia são reticentes ante o qualificativo ‘inexplicável’, a menos que se acrescente ‘no marco dos conhecimentos científicos’. Preferem ater-se a um fato: tal cura é hoje inexplicável. Esta reserva lhes parece indispensável para não ser desqualificados logo por aqueles colegas que rejeitam o inexplicável”.

 

 

 

 

 


Deus cura hoje

março 26, 2011

Quando as pessoas me perguntam se eu acredito na cura das enfermidades, a minha resposta é afirmativa. Por que eu acredito? Quando abro os evangelhos tenho diante dos meus olhos o testemunho e a pregação de Jesus. Ele foi o maior ministro de cura de todos os tempos.

 O papa Bento XVI  ensina “os Evangelhos atestam que Jesus anuncia a Palavra e realiza curas de doentes.” E de fato, quase um quinto dos evangelhos é dedicado ao ministério de cura de Jesus.

 Bastava o povo saber da presença de Jesus e aí aconteciam milagres:

                                                                                                                                                                                                     Mc 6,56

“Onde quer que ele entrasse, fosse nas aldeias ou nos povoados, ou nas cidades, punham os enfermos nas ruas e pediam-lhe que os deixassem tocar ao menos na orla de suas vestes. E todos os que tocavam em Jesus ficavam sãos.”

 Ele curava porque estava cheio de misericórdia, e se preocupava com os doentes e sofredores. A pregação de Jesus era sempre acompanhada pela manifestação de conversões, curas e milagres.

 Quando se fala de cura é necessário lembrar de todas as suas dimensões: a cura das doenças do corpo, da mente e do espírito. Jesus nos cura por inteiro:  cura nosso ser total.

 Ele ensinou aos seus discípulos que pregar o evangelho, significa salvar quem esta perdido, libertar quem esta oprimido por alguma força maligna, curar quem esta doente. Lemos em Lc 9,1: “Reunindo Jesus os doze apóstolos, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios, e para curar enfermidades.” Os discípulos receberam a ordem para continuar a pregar e curar.

 Os primeiros cristãos oravam para que o Senhor confirmasse a pregação com conversões, curas e outros sinais de poder.

 Um exemplo desta verdade a encontramos em Atos 4,29-30: “Agora, pois, Senhor, olhai para as suas ameaças e concedei aos vossos servos que com todo o desassombro anunciem a vossa palavra. Estendei a vossa mão para que se realizem curas, milagres e prodígios pelo nome de Jesus, vosso santo servo! ” Este é o retrato do cristão cheio do Espírito, ora com confiança e ousadia.

 Hoje são poucos os que ousam orar com fé em favor dos enfermos. Não devemos ter medo de orar e acreditar que Deus cura ainda hoje.

 Tenha sempre presente a promessa de Jesus em Mc 17,17-18: “Estes milagres acompanharão os que crerem: expulsarão os demônios em meu nome, falarão novas línguas, 18. manusearão serpentes e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal; imporão as mãos aos enfermos e eles ficarão curados.” Estas palavras dão de um modo evidente a confirmação que a oração pelos doentes faz parte da missão confiada por Jesus à Igreja.

 Se Jesus ordenou eu tenho que orar, não posso privar o povo de ser abençoado. Eu vou orar e Ele vai agir. Eu serei o instrumento, Ele curará. Agradeço a Deus por tocar os doentes com a sua benção restauradora.

É o que aconteceu no dia 6 de Março de 2011 em nosso Louvor de Carnaval: Um senhor (Osvaldo Ruivo, Jardim das Palmas, cidade de Sao Paulo), tinha manchas escuras pelo seu corpo e também sofria de um derrame ocular. Durante a oraçao de cura foi revelado que uma pessoa com  manchas no corpo estava sendo curada, como também o problema do olho direito. No dia seguinte a pele, depois de anos de manchas, estava novamente normal, e não tinha mais nada no olho direito. Este é um sinal de que Deus ainda cura quem o busca de todo o coração. Louvado seja o nosso Deus pelas suas maravilhas.

 

Polêmico Roteirista de Hollywood revela sua conversão ao Catolicismo

Joe Eszterhas é um roteirista de cinema conhecido em Hollywood como o criador do “thriller erótico”, um gênero composto por filmes escuros que combinam o sexo e a violência. Em uns dias publicará seu mais recente livro no que narra sua assombrosa conversão ao Catolicismo.
Eszterhas se fez milionário por escrever os roteiros de filmes bem sucedidos como Basic Instinct, Showgirls e Jagged Edge, todas conhecidas por seu explícito conteúdo sexual. Além disso foi editor da revista Rolling Stone.

O escritor, nascido em 1944, cresceu em campos de refugiados na Hungria depois da Segunda guerra mundial até que chegou com sua família a Cleveland. Estados Unidos. Trabalhou como repórter de notícias policiais, cobrindo incontáveis tiroteios e brigas urbanas.
Nesse tempo, conta que sua vida era muito escura, cheia de morte, assassinatos, crímes e caos, o que marcou sua posterior carreira de roteirista.
No verão do ano 2001, Eszterhas foi diagnosticado com câncer de garganta. Deveu submeter-se a uma delicada cirurgia e recebeu a ordem médica de deixar o álcool e o tabaco. Eszterhas tinha 56 anos, sempre teve um estilo de vida meio louco e sabia que mudar seus hábitos não seria fácil.

Um dia, que Eszterhas descreve como “infernalmente caloroso”, estava caminhando pela rua quando se deu conta que sua vida tinha tocado fundo.
“Estava virando maluco. Estava muito nervoso. Tremia. Não tinha paciência para nada. Cada terminação nervosa demandava um gole e um cigarro”, recorda.
Sentou-se no chão, começou a chorar e de repente começou a rezar. “Por favor, Deus, me ajude”, disse.

Nesse momento, percebeu que não rezava desde menino. “Não podia acreditar o que dizia. Não soube por que o tinha dito. Nunca antes o fiz”, lembra.
Imediatamente, Eszterhas se sentiu sobressaltado por um sentimento de paz e se acabaram seus tremores. Nesse momento, tal como aconteceu com Saulo a caminho de Damasco, viu “uma luz brilhante, deslumbrante, quase me deixava cego e me fez cobrir meus olhos com as mãos”.
Para Eszterhas, esta experiência foi determinante. Deixou de duvidar sobre poder viver sem tabaco nem álcool, ou seja que podia vencer-se a si mesmo e triunfar.
Nesse momento começou seu caminho de volta à Igreja mas o escândalo sexual que afetou duramente aos católicos nos Estados Unidos se converteu em um escolho para terminar seu retorno. Por isso optou por assistir a serviços não denominacionais, mas finalmente se convenceu de que não podia deixar de ser católico.

“A Eucaristia e a presença do corpo e sangue de Cristo está em minha mente e é uma experiência assustadora. A Comunhão é poderosa e é quase um sentimento celestial”, afirma.
Ainda agora recebe ofertas para escrever roteiros sobre temas sinistros. Entretanto, assegura que gastou muita vida explorando o lado escuro da humanidade e não quero voltar a isso nunca mais”.

“Minha vida mudou desde que Deus entrou em meu coração. Não me interessa a escuridão. Tenho quatro filhos formosos, uma esposa a quem adoro, adoro estar vivo e curto cada momento de minha vida. Minha visão se iluminou e não quero retornar a esse lugar escuro”.
No último ano, os médicos lhe deram de alta e assegura que venceu o câncer graças ao que ele considera um milagre. Este é o motivo pelo qual escreveu seu novo livro titulado “Crossbearer: A memoir of faith” (Portador de Cruz: Uma lembrança de fé), para dar graças a Deus e lhe contar ao mundo o que Ele fez em sua vida.

Fonte: ACI Digital
Local:WASHINGTON DC

 

 

 


Encontrar Jesus

março 20, 2011

Por que, para muitas pessoas, a fé e as práticas religiosas já não são mais o ponto de apoio diante da vida? Por que a falta de vontade, o cansaço, o incômodo para participar da Igreja?Por que os jovens não se sentem atraídos? Por que, em resumo, esta monotonia e esta falta de alegria entre os cristãos?

 O episódio da transfiguração nos ajuda a dar uma resposta a estas questões. O que a transfiguração significou para os três discípulos que a presenciaram? Até então haviam conhecido Jesus em sua aparência externa, um homem não diferente dos demais, de quem conheciam sua procedência, seus costumes, seu tom de voz… Agora conhecem outro Jesus, o verdadeiro Jesus, o que não se consegue ver com os olhos de todos os dias, à luz normal do sol, mas que é fruto de uma revelação, de uma mudança, de um dom de Deus.

Para que as coisas mudem também para nós, como para aqueles três discípulos no monte Tabor, é necessário que aconteça em nossa vida algo semelhante ao que ocorre em um namoro. No namoro o outro, o amado, que antes era um entre muitos, ou talvez um desconhecido, de repente se converte em único, o único que interessa no mundo. Os dois encontram tempo para estarem juntos, quando estão distantes sentem falta um do outro. O que aconteceu? Sentem-se atraídos um pelo outro.

A vida cristã verdadeira tem que ser assim. É necessário sentir a alegria de estar com Jesus. Alguns poderão dizer: quando duas pessoas se apaixonam podem se ver, tocar. Também Jesus o vemos e tocamos! Realizamos isso com outros olhos e outras mãos: a fé e o coração. Este foi o caminho dos discípulos:

                                                                                                                                                                                                                  Mt 17,1

“…Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, seu irmão, e conduziu-os a parte a uma alta montanha”

 Subir a montanha tem vários significados espirituais. A montanha indica a importância da terra estar unida ao céu. Quem sobe a montanha esta mais próximo de Deus. E fazemos isso, por meio da oração e também entrando em um lugar sagrado, uma igreja. Nestes dois momentos temos um encontro com uma pessoa real, viva: Jesus Cristo.

 No namoro humano podemos ficar decepcionados. Com Jesus as coisas são melhores, Ele nunca nos decepciona. Se o buscamos de coração, mais enamorados ficamos. O encontro diário pela oração, fortalece a nossa fé. A casa de Deus é a Igreja: é o lugar onde nos espera para nos alimentar com o Seu Corpo e Sangue de Jesus. Esta certeza é confirmada pela voz de Deus:

Mt 17,5

“daquela nuvem fez-se ouvir uma voz que dizia: Eis o meu Filho muito amado, em quem pus toda minha afeição; ouvi-o.”

 Aí esta o segredo de uma vida abençoada: Ouvir, buscar e testemunhar Jesus!

 

 

 

Nova-iorquino troca carreira de policial pelo sacerdócio

Nova-iorquino troca carreira de policial pelo sacerdócio –

A seus 25 anos de idade, Nicolás Fernández reunia para seus companheiros todas as qualidades de um bom policial e tinha uma promissora carreira neste corpo. Entretanto, em seu trabalho cotidiano descobriu que necessitava armas muito distintas para aliviar as “almas turbulentas” e decidiu se tornar sacerdote.

Nicolás, nascido em Staten Island de mãe irlandesa e pai espanhol, começou uma formação de seis anos no seminário São Joseph do Yonkers. Levava dois anos servindo como policial, quando inspirado pelos ensinamentos de João Paulo II e a visita do Bento XVI a Nova Iorque, mudou esta carreira pelo serviço sacerdotal.

 Conforme recolhe O Novo Jornal, o seminarista lembra que quando era policial, a gente ia a ele a lhe apresentar seus problemas pelo uniforme que vestia. “Agora, o farão porque terei uma batina de sacerdote”, indicou.O seminarista era patrulheiro da área da praia de Brooklyn e estava destacado ao quartel 61. Seu companheiro de patrulha sempre lhe dizia que poderia chegar muito rápido à farda de tenente. “Mas essa era a última coisa que eu queria”, “Decidi-me pelo sacerdócio influenciado pelos discursos e exposições de João Paulo II sobre a cultura da morte que inclui milhares de assassinatos, suicídios, homicídios e situações nacionais nas que as crianças estão sendo abandonadas ou são vítimas de maus tratos em seus lares por causa das drogas”, relatou Nicolás.

“Para essas almas turbulentas, nunca tive uma solução externa como polícia. Tem que haver uma mudança interior, uma mudança no coração e para isso, é necessário ser sacerdote”, concluiu.

 Fonte: Aci digital
Local:Nova Iorque (EUA)

 


Quaresma: uma batalha espiritual

março 10, 2011

A quaresma começa com um gesto próprio e exclusivo: a imposição das Cinzas. Qual é o seu significado mais profundo? Certamente não se trata somente de um gesto exterior, mas de algo bastante profundo, que toca o nosso coração. As cinzas nos fazem compreender a atualidade das palavras do profeta Joel 2, 13: “Rasgai vossos corações, e não vossas vestes! Voltai ao Senhor vosso Deus, porque Ele é bom e compassivo!” Esta advertência é importante para todas as práticas religiosas: os gestos exteriores devem corresponder sempre a sinceridade da alma e a coerência das obras. Para que serve rasgar as vestes, se o coração permanece distante do Senhor, eis aquilo que conta: voltar para Deus, com o coração sinceramente arrependido, para obter a sua misericórdia.

 Um coração renovado e um espírito novo é o que pedimos com o Salmo 50,12:“Ó meu Deus, criai em mim um coração puro, e renovai-me o espírito de firmeza.” O verdadeiro cristão, consciente de ser pecador, deseja e busca a renovação espiritual.

 Todos os dias, mas sobretudo na Quaresma, o cristão deve enfrentar uma luta, como a de Jesus Cristo no deserto da Judéia, onde durante quarenta dias foi tentado pelo diabo,e depois no Getsémani, quando rejeitou a extrema tentação aceitando totalmente a vontade do Pai. Trata-se de uma batalha espiritual, que se destina contra o pecado e contra satanás. É uma luta que envolve totalmente a pessoa e exige uma vigilância atenta e constante.

 Santo Agostinho observa que quem deseja caminhar no amor de Deus, não pode contentar-se com a libertação dos pecados graves e mortais, mas “pratica a verdade reconhecendo também os pecados menos graves…  Também os pecados menos graves, se forem descuidados, crescem e causam a morte”.

 A Quaresma recorda-nos que a existência cristã é um combate incessante, no qual devem ser utilizadas as “armas” da oração, do jejum e da penitência. Lutar contra o mal, contra qualquer forma de egoísmo e de ódio, e morrer para si mesmos para viver em Deus é o programa de vida de cada discípulo de Jesus.

Nesta quaresma siga o conselho de Jesus em Mt 6,6: “Quando orares, entra no teu quarto, fecha a porta e ora ao teu Pai em segredo; e teu Pai, que vê num lugar oculto, recompensar-te-á.”

 O modo simples para viver estas palavras é:

 - reservar um tempo diário para a oração pessoal;

 - fazer uma visita semanal ao Santíssimo Sacramento;

 - participar com todo fervor da santa missa dominical;

 - preparar-se com um exame de consciência para uma boa confissão.

 Tenha presente que a finalidade da verdadeira prática religiosaé nos ajudar a crescer no amor verdadeiro,que não exclui ninguém,não julga pela aparência ou ouvi dizer, mas sabe fazer o bem e perdoar.

 

 Oração da Quaresma de Sto. Efrén

 Senhor e Mestre de minha vida,

afasta de mim o espírito de preguiça,

de abatimento, de domínio sobre meus semelhantes,

de falar sem necessidade,

e concede a mim, teu servo, um espírito de integridade,

de humildade, de paciência e de amor.

Sim, Senhor e Rei,

concede ver meus pecados e não julgar meus irmãos”

porque és bendito pelos séculos dos séculos. Amém.


O assalto do demônio: as tentações

fevereiro 18, 2011

Um dos maiores inimigos da vida cristã vitoriosa é não compreender ou não levar a sério as palavras de Nosso Senhor em Mt 26,41: “Vigiai e orai para que não entreis em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca.” Vigiar significa jamais perder a consciência de que todos estão sujeitos a tentação. E ninguém vence a tentação sozinho, daí a importância da união com Deus pela oração.

 A igreja primitiva tinha muito claro a importância da atitude de vigilância para não cair nas armadilhas de Satanás. Eles ensinavam, por exemplo:

 - “o diabo rouba ao homem as virtudes da alma, leva-o ao vício, priva-o da liberdade, tornando-o escravo; arrebata-lhe os bens espirituais, extinguindo nele o temor de Deus, e incentivando-o a praticar as misérias da vida presente.(Orígenes)

 -  Satanás “é o grande inimigo do homem.”(Tertuliano)

 -“A esperta serpente não tem outra ânsia, outro cuidado, nem outro negócio, senão derramar o sangue das almas” (São Bento)

 O Catecismo do Concílio de Trento diz: “O demônio nos faz uma guerra sem descanso e persegue-nos com uma raiva mortal. Eis porque suplicamos a Deus para nos livrar do mal e do maligno.”

 Um dos erros da prática cristã de muitas pessoas esta em negar a existência do demônio ou a ignorância sobre esta questão.Nos dois casos fica o espaço para que Satanás semeie a sua terrível destruição.

 Os ataques de Satanás acontecem, principalmente, em três dimensões:

 - tentação

- Infestação pessoal e de lugares

- e mais raramente a possessão.

 Quero convidar você a reconhecer como o maligno age colocando-nos à prova por meio da tentação. A tentação é um estímulo ao mal que encontra apoio em mente e sensibilidade. Muitas tentações surgem dos apelos do mundo para que a gente pratique a mentira, desonestidade, o abuso do sexo, infidelidade matrimonial, experimente e se torne escravo das drogas, abuse do álcool…  e tantas outras seduções. Para nos levar a pecar, “Satanás se transfigura em anjo de luz…”(2Cor 11,14).Para isso, usa todos os meios capazes de atrair nossa atenção, e nos fazer cair em pecado.

 Santo Agostinho dizia: “O demônio ilude-nos com a sombra das coisas passageiras; com as ilusões nos engana e, ao enganar-nos, provoca-nos a morte.”

 A tática do demônio é encontrar o nosso ponto mais fraco.Pode ser a nossa própria vida espiritual fria ou morna, a saúde, a família, os problemas financeiros e profissionais, a afetividade…

 Se ele não encontrar nada nestas áreas, ele não desanima, porque sabe como desviar as mentes e corações do propósito de amar, servir e louvar a Deus.

 O nosso mundo com o destaque para a busca de uma condição melhor de vida,a ênfase sobre a importância da diversão,a facilidade de comunicação via internet,podem se tornar, se não vigiamos,nos novos frutos proibidos apresentadospela terrível serpente para desviar a nossa atenção de Deus. Observe como as pessoas estão sempre conectadas:Celular, Ipod, redes sociais…Exercício físico, as baladas, viagens… O pecado não esta nas atividades ou tecnologia,e sim no modo como são nos relacionamos com estas realidades.

 Na tentação o diabo sugere,quem consente e peca somos nós. Se resistimos com o escudo da fé, Satanás não tem como entrar em nossa vontade. Paulo nos diz em I Cor 10,13: “Não vos sobreveio tentação alguma que ultrapassasse as forças humanas. Deus é fiel: não permitirá que sejais tentados além das vossas forças, mas com a tentação ele vos dará os meios de suportá-la e sairdes dela.”

 

Oração para vencer as tentações

 Senhor Jesus, daí-me forças para suportar as dificuldades,

e sabedoria para me afastar do mal e das tentações.

Que todos os meus passos, atos, desejos e pensamentos,

sejam retos aos Teus olhos;

que em meu coração cresça a vontade de amar, louvar e servir a Deus.

Cria em mim um espírito de vigilância,

 para que possa reconhecer as mentiras de Satanás.

Afasta de mim este terrível inimigo e sua astúcia,

e repreende todas as suas artimanhas contra a minha vida

Guarda-me, Senhor Jesus; Guia-me. Eu Te peço e agradeço. Amém.


A Infestação maligna pessoal

fevereiro 11, 2011

O caminho do cristão é marcado pela bênção, e também é uma luta contra o diabo e seus anjos maus. “não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal (espalhadas) nos ares.” (Ef 6,12) Não podemos ignorar esta batalha espiritual, e ao mesmo tempo é importante manter viva a certeza da vitória de Jesus sobre este nosso terrível inimigo: o demônio : “Eis por que o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do demônio.” (1 Jo 3,8). Esta vitória aconteceu na cruz!

 A ação diabólica se desenvolve nos mais diferentes níveis:

-  tentação

 - infestação pessoal e local

 - e possessão

 Uma das ações extraordinários do demônio, e ao mesmo tempo, uma da mais comuns, que afeta ao homem e mulher, é infestação maligna pessoal. Esta ação diabólica é como um cerco, um assédio, pois vem de fora, prejudicando a saúde, afetando a imaginação, memória, os sentidos, causando alucinação, etc… A pessoa esta consciente, sente o mal estar, e tem o livre uso da vontade.

 Um dos exemplos de infestação maligna, mais freqüentes, são as doenças, às vezes desconhecidas e inexplicáveis, sob o ponto de vista médico. É o testemunho da libertação da mulher encurvada:“Estava Jesus ensinando na sinagoga em um sábado. Havia ali uma mulher que, havia dezoito anos, era possessa de um espírito que a detinha doente: andava curvada e não podia absolutamente erguer-se. Ao vê-la, Jesus a chamou e disse-lhe: Estás livre da tua doença. Impôs-lhe as mãos e no mesmo instante ela se endireitou, glorificando a Deus.” (Lc 13,10-13). O remédio espiritual aplicado por Jesus é:a oração de libertação: “Ao vê-la, Jesus a chamou e disse-lhe: Estás livre da tua doença. Impôs-lhe as mãos e no mesmo instante ela se endireitou, glorificando a Deus.” (Lc 13,12-13)

 A influência maligna pessoal não é de fácil discernimento, como por exemplo uma possessão, onde o demônio se manifesta de um modo claro. Por isso, é importante,  usar da autoridade de Jesus, e fazer a oração de libertação. É importante combater em duas frentes:

 - Receber a oração de alguém que tenha este ministério de libertação,

 - e também rezar individualmente nesta intenção.

 Os exorcistas também afirmam que pelo mau uso da vontade ou como efeito de algum malefício do ambiente ou pessoas,acontece a infestação maligna pessoal, levando a comportamentos estranhos, difíceis e violentos. Isso se manifestaria em certas pessoas de difícil relacionamento, algumas com distúrbios graves como a criminalidade, a rebeldia, a falta de respeito pelos semelhantes, a dependência do álcool ou drogas… O remédio também nestes casos é a oração de libertação, feita com a pessoa ou intercedendo por ela.

 Somado à terapia espiritual é necessáriodar alguns passos:

 Primeiro passo: entregar a vida a Jesus

 Segundo passo: oração pessoal

 Terceiro passo: vida sacramental (confissão e eucaristia)

 Quero agora convidar você a dar o primeiro passo convidando Jesus a entrar no seu coração:

 Senhor Jesus, Eu Te agradeço por ter morrido na cruz pelos meus pecados, aí foi derramado o Teu sangue precioso para me curar,

Eu abro as portas do meu coração e te convido a ser o meu Senhor e o meu Salvador,

 Assume agora a direção da minha vida. Amém.

 

Muitas pessoas bem intencionadas tem sido derrotadas diante da vida pela ignorância ou desprezo de certas verdades espirituais a respeito da ação do demônio. A possessão é algo raro, enquanto a infestação tanto de pessoas, como locais é muito comum. A infestação pode afetar a todos, quem não é cristão, cristãos comuns e até os mais fervorosos.

 Façamos juntos o sinal da cruz: Em nome do Pai….

 Coloque a mão na sua fronte para pedir a libertação de todos os pensamentos maus:

 Em nome de Jesus renova a minha mente

 Tira todos os pensamentos de malícia, maldade, impureza, tristeza, derrota…

 Forma em mim uma vontade decidida para reagir. Amém

 

Coloque a mão no coração para pedir a libertação de todas as emoções negativas:

 Jesus entra nas emoções negativas que tem me levado ao pessimismo, tristeza, desanimo diante da vida,

 E dá agora uma nova força para viver.

 Eu repreendo toda e qualquer influência maligna que por ventura esta causado os  males que estão me atormetando.

 Jesus liberta- me da doença que tem como causa a influência maligna. Amém.

 

No coração não duvide. Não fique somente com esta oração. Continue a terapia espiritual. Se a muito tempo não se confessava, confesse. Mantenha a disciplina da oração diária, inclua o santo terço. Não falte a santa missa dominical.

 Oração de libertação

 Eis aqui a † Cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, que garante a salvação e a vida eterna,

 a † Santa Cruz que derrota todos os espíritos malignos.

 † Retira-te de nós, habitante das trevas, oposto aos desígnios do Deus Altíssimo.

 † Afasta-te, não importa o mal que tenhas trazido aqui: bruxaria, feitiçaria, malefícios,

 magia negra, maldições familiares, mal oculto, amarrações.

 Sob o comando de São Miguel Arcanjo, que te precipitou nos infernos,

 assim te ordenamos, espírito maligno, inimigo do gênero humano, que não voltes mais a fazer mal a nós aqui presentes. Amém.

 

 

 

 

 

 

 


Sorrir e assobiar

janeiro 20, 2011

 

       A cada dia as pessoas vão perdendo a capacidade de sorrir, assobiar tranqüilamente na rua, cumprimentar com atenção e sinceridade. Ao invés disso, vemos a pressa em chegar no destino, os gestos ou palavras demonstrando irritação ou agressividade. Como cristãos é necessário estar atentos para não cometer esses erros, porque um dos sinais da presença de Jesus em nosso coração é a alegria. 

 “O Reino de Deus não é comida e nem bebida, mas justiça, paz e gozo no Espírito Santo. Quem deste modo serve a Cristo, agrada a Deus e goza da estima dos homens.”

              Rom 14,17-18

         Estas palavras nos ajudam a compreender que viver de acordo com os ensinamentos da Palavra de Deus é algo extremamente útil e prático. Deus não quer ocupar somente o nosso tempo  com alguns atos religiosos, mas dar uma visão ampla sobre a vida. Podemos iniciar cada dia esperando sempre uma surpresa agradável. Para alcançar este objetivo é necessário seguir o sábio conselho de uma pessoa de profunda experiência com as surpresas de Deus: o apóstolo São Paulo. Em 2 Cor 12,10 diz: ” Eis que sinto alegria nas fraquezas, nas afrontas, nas necessidades, nas perseguições, no profundo desgosto sofrido pôr amor de Cristo. Porque quando me sinto fraco, então é que sou forte.” A alegria, fruto do Espírito Santo, dá a convicção que somos capazes de enfrentar as lutas da vida, tristezas e outras realidades indesejáveis.

 Um problema atrás do outro, caindo em nossa vida tem o poder de trazer a amarga sensação de fracasso, desânimo. Nesse momento desaparece todo o prazer de viver, afinal de contas, quem é que agüenta solidão, brigas na família, traição de amigos, dificuldades financeiras, doença…? Não existe alegria para quem se sente derrotado. Agora, se a atitude é outra, a de reagir de acordo com a sua fé em Jesus Cristo, tudo muda. Você pode até em um primeiro momento se sentir abatido, mas a promessa do Senhor é muito clara:

…mas aqueles que esperam no contam com o Senhor renovam as suas forças; ele dá-lhes asas de águia. Correm sem se cansar, vão para frente sem se fatigar.”

                                 Is 40,31

 A solução está em parar de lamentar a sua sorte e levantar a cabeça, manter-se de pé, firme nas promessas do nosso bom Deus. Não existe melhor remédio do que a fé. Quanto passamos pôr turbulências em nossa vida, existe o perigo de tentar a solução de trabalhar mais, ou o mais grave, envolver-se com o álcool, drogas, jogo… Não chegue a este ponto, e se chegou existe saída. Aproxime-se de Jesus, não tenha medo de falar do seu problema, se for preciso chore junto Dele, não tenha vergonha….Ele também chorou diante do túmulo do seu amigo Lázaro. Todavia, faça isso como quem está se submetendo  a um tratamento com a certeza da cura.

 “ Vinde a mim, vós todos que estais aflitos sob o fardo, e eu vos aliviarei. Tomai meu jugo sobre vós e recebei minha doutrina, porque eu sou manso e humilde de coração e achareis o repouso para as vossas almas.”

                                        Mt 11,28-29

 Fica claro que não se trata de mera auto-ajuda, como esta na moda, e sim a importância de viver a fé, praticar a religião… pois aí está o combustível que faz o motor da vida produzir alegria.

 Então vamos recapitular:

- permita que o Espírito Santo renove  sua mente tirando o pessimismo, passando a viver o otimismo;

- aprenda a assobiar e sorrir para as pessoas

- pratique de modo confiante a sua fé e participe da Igreja para alimentá-la com os meios deixados pôr Jesus

 

 

 


Orai sem cessar

janeiro 13, 2011

” Que ninguém pense, meus caros irmãos em Cristo, que o dever de orar incessantemente é somente dos sacerdotes e dos monges, mas não dos leigos. Não, não; todos nós, cristãos, temos o dever de estarmos sempre em estado de oração. Ponderem no que o santo Patriarca de Constantinopla, Filoteu, escreveu na vida de São Gregório de Tessalônica.

Este hierarca tinha um amigo amado cujo nome era Jó, um homem simples mas de boas obras. Certa vez eles estavam conversando, e o bispo disse que todos os cristãos deveriam sempre se esforçar em oração, e deveriam orar constantemente, conforme o Apóstolo Paulo exortara: Orai sem cessar (I Tessalonicenses 5:17); e conforme o Profeta David dissera de si próprio [a despeito de ser rei e de governar todo um reino]: Tenho contemplado o Senhor sempre diante de mim (Salmo 15:8), isto é, com meu olho da mente eu sempre vejo o Senhor diante de mim em oração. E São Gregório, o Teólogo, ensina a todos os cristãos que eles devem invocar o nome de Deus mais vezes do que respiram.

Tendo dito isto e muito mais, o hierarca ainda acrescentou a seu amigo Jó que não somente devemos obedecer ao mandamento dos santos, isto é, de sempre orar, mas que devemos ensinar aos demais a fazer o mesmo; a todos, sem distinção – monges e leigos, cultos e incultos, homens e mulheres, e crianças – devemos exortá-los a orar sem cessar.

O velho Jó, ao ouvir essas coisas, achou que se tratava de inovações, e começou a argumentar, dizendo ao hierarca que orar incessantemente era tarefa de ascetas e monges, ‘que viviam fora do mundo e de suas preocupações, e não de leigos, que possuem muitas preocupações e atividades’. O hierarca trouxe ainda mais evidências em favor desta verdade e novas provas irrefutáveis, mas, mesmo assim, o velho Jó não se deixou convencer. Então, a fim de evitar contendas e discussões, o santo Gregório calou-se, e cada um foi para sua cela.

Mais tarde, quando Jó estava orando sozinho em sua cela, apareceu-lhe um anjo enviado de Deus, que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade (I Timóteo 2:4), e repreendeu-o por ter discutido com São Gregório e por ter negado uma verdade tão evidente, da qual depende a salvação dos cristãos. Ele anunciou do próprio Deus que, no futuro, ele deveria prestar atenção e tomar cuidado para não dizer nada contrário a esta questão salvífica e para não resistir à vontade de Deus, e que até mesmo em sua mente ele não deveria sustentar qualquer pensamento contrário a isto, não se permitindo pensar em nada que negue o que São Gregório havia dito. Então, o simples e velho Jó correu até São Gregório e, ajoelhando-se, pediu perdão pela discussão, revelando-lhe tudo o que o anjo de Deus havia dito.

Ora, vedes, meus irmãos, como todos os cristãos, do menor ao maior, devem sempre orar dentro de seus corações: “Senhor Jesus Cristo, tem piedade de mim!”, a fim de que suas mentes e corações sempre tenham o hábito de pronunciar estas santas palavras. Ponderem o quanto isso é agradável a Deus e o bem que isso gera, quando, em Seu infinito amor pela humanidade, Ele enviou um anjo do céu para revelar isso a nós, de maneira que ninguém mais tenha dúvidas a respeito.

Mas o que dizem os leigos? “Estamos sobrecarregados de coisas para fazer e preocupações mundanas; como conseguiremos orar sem cessar?”

Eu lhes responderia que Deus não nos manda fazer o impossível, mas somente aquilo que somos capazes de fazer. E, portanto, isso pode ser feito por qualquer um que busque fervorosamente a salvação de sua alma. Se isso fosse impossível, então seria impossível a qualquer um que vivesse no mundo e não haveria tantas pessoas, em meio ao mundo, que estivessem rezando incessantemente como se deve. Entre estas muitas pessoas, podemos citar o exemplo do pai de São Gregório de Tessalônica, o impressionante Constantino, que, apesar de estar envolvido na vida da corte, sendo chamado de pai e tutor do Imperador Andrônico e ocupado diariamente com questões estatais e familiares – ele tinha uma grande propriedade com muitos servos, uma esposa e filhos – apensar de tudo isso, ele era tão inseparável de Deus, e tão apegado à oração mental incessante, que frequentemente se esquecia o que o Imperador e seus ministros estavam discutindo e frequentemente lhes perguntava a mesma coisa. Os ministros, sem entender o porquê das perguntas insistentes, irritavam-se e o reprovavam por ser tão esquecido e por molestar o Imperador com perguntas repetitivas. Mas o Imperador, sabendo a razão por trás disso tudo, vinha em sua defesa e dizia: “Constantino tem seus próprios pensamentos que, às vezes, não lhe permitem prestar total atenção ao que estamos dizendo”.

Há inúmeras pessoas que, vivendo no mundo, se entregaram à oração incessante, conforme a história atesta. Portanto, meus caros irmãos em Cristo, eu vos exorto – eu, juntamente com São João Crisóstomo – pelo bem da salvação de vossas almas, não negligencies essa oração. Imiteis o exemplo daqueles de quem falei, e sigais seu exemplo o quanto puderes. Em princípio, pode parecer algo muito difícil, mas assegurai-vos, como se isto viesse do Deus Altíssimo, de que o próprio nome de nosso Senhor Jesus Cristo, incessantemente invocado por vós, ajudar-vos-á a superar todas as dificuldades e, com o tempo, vós estareis acostumados e desfrutareis da doçura do nome do Senhor. Então, sabereis por experiência que esta atividade não é impossível nem difícil, mas possível e fácil. É por isso que São Paulo, sabendo muito mais do que nós o grande benefício que esta oração traz, exorta-nos a orar sem cessar. Ele não teria exigido isso de nós se fosse algo assim tão difícil e totalmente impossível, sabendo de antemão que, fosse esse o caso, sendo impossível cumprir a tarefa, seríamos inevitavelmente desobedientes a seu mandamento e nos tornaríamos transgressores dele e, por causa disso, dignos de julgamento e punição. Mas esta não poderia ter sido a intenção do Apóstolo Paulo.

Para orarmos dessa maneira, temos de ter em mente o método da oração, como é possível orar sem cessar, isto é, orar com a mente. Sempre é possível fazer isso, se quisermos. Enquanto nos ocupamos com trabalhos manuais, enquanto falamos, enquanto comemos ou bebemos – sempre é possível orar com a mente, ou a oração agradável a Deus, a verdadeira oração. Trabalhemos com o corpo, mas com a alma, oremos. Que o homem exterior desempenhe todas as atividades corporais, mas que o homem interior esteja completamente entregue ao serviço de Deus e nunca cesse a atividade espiritual da oração mental, conforme Jesus, o Deus-Homem, mandou no Santo Evangelho: Tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto (Mateus 6:6). O aposento da alma é o corpo: a porta são os cinco sentidos do corpo. A alma entra em seu aposento quando a mente não perambula aqui e ali, em busca de coisas mundanas, mas quando encontra seu lugar no coração. Os sentidos se fecham e mantêm-se assim quando não lhes permitimos que se apeguem a coisas sensuais exteriores, e, dessa forma, a mente permanece livre de todos os apegos mundanos e, por meio da oração mental oculta, une-se a Deus seu Pai.

E teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente, continua o Senhor. Deus, que conhece tudo o que está oculto, vê a oração mental e recompensa com grandes e manifestos dons. Pois esta é a verdadeira e perfeita oração que enche a alma com a graça divina e com dons espirituais – como mirra que, quanto mais estiver contida em um vaso, tanto mais esse vaso exalará fragrâncias. É assim com a oração: quanto mais compartimentada estiver no coração, tanto mais abundará com a graça de Deus.

Bem-aventurados os que se acostumaram com essa atividade celestial, pois através dela vencem todas as tentações dos espíritos malignos, assim como David venceu o orgulhoso Golias. Dessa maneira, eles sufocam os desejos desordenados da carne, assim como os três jovens sufocaram as chamas da fornalha. Por meio da oração mental, as paixões são domadas, assim como Daniel domou as bestas selvagens. Ela traz o orvalho do Espírito Santo ao coração, assim como as orações de Elias trouxeram chuva ao Monte Carmelo. A oração mental alcança o próprio trono de Deus, onde é entesourada em taças douradas e, como um incenso, exala uma doce fragrância diante do Senhor, exatamente como São João, o Teólogo, viu em sua revelação: Os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um deles uma harpa, e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos (Apocalipse 5:8). A oração mental é a luz que ilumina a alma do homem e inflama seu coração com o fogo do amor a Deus. É a corrente que une Deus ao homem e o homem a Deus. Ó, não há nada que se compare com a graça da oração mental! Ela faz do homem um eterno dialogador com Deus. Ó verdadeira excelência e excelentíssima tarefa! Em corpo vós estais com as pessoas, mas mentalmente conversais com Deus.

Os anjos não possuem vozes audíveis, mas mentalmente rendem louvor constante a Deus. Eis sua ocupação; toda sua vida é dedicada a isso. E tu também, irmão, quando entrares no teu aposento e fechares a porta, isto é, quando tua mente não mais perambular por aí, mas entrar nos recessos interiores do teu coração, e teus sentidos forem trancados e afastados das coisas do mundo, e dessa maneira tu sempre orares, então serás como os santos anjos, e teu Pai, que vê tua oração secreta que rendes a Ele dos tesouros do teu coração, conferirá a ti grandes e manifestos dons espirituais.

E o que mais tu desejas disto, quando, conforme eu disse, mentalmente tu estás sempre na presença de Deus e conversas com Ele incessantemente – tu conversas com Deus, sem O qual nenhum homem jamais será abençoado aqui ou na outra vida.”

São Gregório Palamás

 


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.